A American Airlines está promovendo alterações nas aeronaves de algumas rotas e suspendendo os voos de outras. Uma das modificações é na rota Guarulhos – Los Angeles. A partir do dia 5 de novembro, o B789 vai substituir os B772 que estão sendo usados atualmente. A frequência, também, vai aumentar de 5 para 6 vezes na semana. Quem tiver passagem comprada do dia 5/11 em diante deve dar uma olhada no site da AA para remarcar o assento.

Mas a grande surpresa está nas alterações nas rotas da Oceania.

Surpreendentemente, os voos entre Los Angeles e Auckland serão suspensos entre agosto e outubro. A retomada coincidirá com o fim da baixa temporada – inverno na Nova Zelândia – e será acompanhada da substituição do B788 pelo B789, que comporta mais passageiros. Já a rota Los Angeles – Sydney terá o B77W substituído pelo B789, o que significa o fim da primeira classe nesse trecho.

Na verdade, haverá uma troca com a rota São Paulo – Dallas, que deixará de ter o B789 e sua premium economy para ser substituído pelo B77W, sem premium economy mas com first.

As medidas pegaram os blogs de milhas e aviação de surpresa, principalmente porque a AA fez uma enorme propaganda no lançamento da rota Los Angeles – Sydney em dezembro de 2015, focando principalmente na oferta da primeira classe com serviço diferenciado.

Com isso, há uma perda de 8 assentos de primeira classe e 22 de executiva em um voo de 16 horas. Em compensação, o B789 tem 21 assentos na premium economy. Imagino que as chances de se usar os systemwide upgrades nessa rota diminuam drasticamente. Além disso, o resgate de bilhetes com milhas também será muito prejudicado.

Além disso, o AAdvantage está reduzindo o acúmulo de milhas nos voos da Qantas. As tarifas N, G e S da econômica passam de 50% para 25% de acúmulo, com os EQDs reduzidos de 10% para 5%. A tarifa H, também da econômica, passa tem a pontuação reduzida de 100% para 50%, e os EQDs passam de 20% para 10%. As tarifas R e T, da premium economy, não ganharão mais o bônus de 10% pela cabine e os EQDs passam de 22% para 20%. Os cortes, contudo, são recíprocos.

Segundo os blogueiros americanos Gary Leff e Lucky Schlappig, as mudanças tem a ver com a negativa da ANAC americana em aprovar a joint venture entre a AA e a Qantas e essa é uma maneira de pressionar o governo americano.

De qualquer modo, os passageiros com reservas a partir de novembro nos voos entre São Paulo e Dallas e Los Angeles devem dar uma olhada no site da AA para remarcar os assentos. Aqueles que emitiram passagens com milhas entre Los Angeles e Auckland no período entre agosto e outubro devem ligar imediatamente para a American.