viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Air France, KLM, Programas de Milhas, Programas de Milhas

[Updated] Flying Blue, o pouco conhecido programa de milhas da Air France/KLM

Após a publicação desse post ontem, o pessoal do Flying Blue entrou em contato comigo, dando mais informações sobre o programa, que eu acrescentei em vermelho no post.

A Air France e a KLM são duas das companhias aéreas favoritas dos brasileiros, mas poucos conhecem o seu programa de milhagens, o Flying Blue. A Air France/KLM pertencem ao Skyteam.

Companhias aéreas membros do Skyteam

O Flying Blue também tem parceria com outras companhias aéreas como a GOL,  Japan Airlines, Alaska Airlines, Bangkok Airways, Copa etc.

Características do Programa

  • Geralmente, o passageiro pode emitir os bilhetes com milhas online. Mas com algumas companhias aéreas é necessário telefonar para o call center. Clique aqui para saber quais são as companhias com emissão online e quais é obrigatório o telefonema para o call center.
  • O Flying Blue não permite um stopover, mas aceita open jaw. Mas, nesse caso, é necessário telefonar para fazer a emissão. Algumas pessoas acreditam que o site europeu da Air France/KLM Flying Blue mostra mais diponibilidade que os sites internacionais.
  • Os valores para alteração e cancelamento de bilhetes emitidos com milhas também são bem razoáveis quando comparados àqueles praticados pelas companhias americanas (em torno de USD 150) e pelo LATAM Fidelidade (USD 125). São 70 USD.
  • Na emissão de bilhetes com milhas Promo Awards, não é possível o cancelamento ou alterações. Há perda total das milhas e taxas.
  • A validade das milhas é vitalícia, desde que sejam creditadas milhas de um voo a cada dois anos.
  • O Flying Blue  cobra taxa de combustível dependendo do parceiro e do ponto de origem e destino.
  • Não é permitido a emissão de bilhetes com trechos em cabines mistas.
  • É permitido emitir passagens com 10 meses de antecedência.
  • Apesar da GOL ser parceira e ser possível acumular milhas no Flying Blue voando GOL, essas milhas não são qualificáveis para mudar de categoria.

Níveis de Status

O nível Silver tem benefícios como bagagem gratuita, check-in prioritário e 50% de bônus elite. Já o Gold permite, além dos benefícios do Silver,  o acesso às salas VIP do Skyteam e 75% de bônus elite. O Platinum dá uma série de benefícios interessantes. Clique aqui para ver todos os benefícios de cada categoria.

Upgrades

O Flying Blue permite o uso de milhas para upgrade.

Mas nem todas as classes de voos permitem o upgrade. Clique aqui para acessar a tabela com as tarifas que permitem upgrade.

Utilização das Milhas

Ainda tratando da viagem em si, você pode gastar suas milhas em outros produtos e serviços, como aqueles relacionados à bagagem extra , a um upgrade de classe, ao acesso a Salas VIP ou a compras em voo (clique aqui para saber mais).

Há, ainda, outras opções na Air France ou na KLM, que, por exemplo, permitem alguns benefícios durante o voo, como compra de refeições especiais à la carte, maior espaço nos assentos ou ainda alguns assentos especiais.

As milhas também podem ser resgatadas ou acumuladas na reserva de hotéis (clique aqui para saber mais) ou na Blue Store, que oferece, além de produtos, a troca de milhas por tickets para museus (clique aqui para saber mais).

Resgates

Todos os meses, o Flying Blue tem os Promo Awards. São bilhetes-prêmio com até 50% de desconto em rotas selecionadas – raramente o Brasil está incluído neles … 🙁

Os Classic Awards têm um bom valor de resgate, principalmente para a Ásia. Do Rio para Bangkok, são 125.000 milhas em executiva – são dois voos de aproximadamente 12 horas. Cada um sai por 62.500 milhas. É bem razoável.

Como a Air France oferece premium economy, é possível ir daqui para a Ásia com 62.500 milhas por um bilhete de ida ou volta.

Se você é do grupo dos fortes, do Brasil à Ásia em econômica sai por 50.000 milhas. Uma pechincha.

Para a Europa em econômica, o valor também é bom: 40.000 milhas o trecho de ida ou volta.

Para os Estados Unidos, o valor é incrivelmente baixo na econômica: são 25.000 milhas voando Delta.

Voar para o Havaí é sempre mais caro. Mas se você voar até Nova York ou Miami, por 15.000 milhas você chega a Honolulu na econômica da Delta. A executiva sai o dobro, 30.000. Nada mal para cerca de 8 horas de viagem …

Mas a verdadeira pérola, em minha opinião, está aqui: Los Angeles para Bora Bora, pela Air France, por 30.000 milhas em executiva.

Saindo do Brasil, Bora Bora fica a 100.000 milhas em executiva pela Air France.

A primeira classe da Air France é proibitiva: são 320.000 milhas do Brasil à França. A outra companhia que oferece primeira classe, a Garuda – excepcional, por sinal – não permite resgate com as parceiras, o que é uma pena. Mas é possível voar na executiva da Garuda entre a Europa e a Ásia por 100.000 milhas.

Para acessar a calculadora de milhas do Flying Blue, clique aqui.

Eu confesso que fiquei surpresa com o Flying Blue. No geral, ele é um bom programa com algumas ótimas vantagens, como upgrades, bagagem extra e benefícios em toda a rede.

Alguém usa o Flying Blue como programa principal? Vocês têm experiência com ele?

 

31 Comentários

  1. Ge

    Ola,o FB cobra YQ em trechos que a origem nao seja o o Brasil.

  2. Rodolfo

    Sensacional…como disse antes vôos skyteam e gol comecei a pontuar no flying BLUE…como vou começar a fazer uma viagem para Europa ao ano…normalmente Paris como cidade de entrada vou acabar fazendo muitos vôos pela Air France..agora é torcer para algum cartão começar a fazer transferência para eles..
    Vôos delta conseguiu achar online?

  3. SÍLVIO CARNEIRO

    Penso na possibilidade de migrar Smiles para o Flying Blue, por viajar com frequência na AF. Eu tenho curiosidade em saber os valores de resgate na América do Sul como, por exemplo, GIG-SCL na classe Comfort da Gol ou na executiva da Aerolineas. Só é possível simular tendo conta lá. Tenho Milemiglia, que é também Skyteam(Alitalia), mas nunca marquei lá, usei o match status apenas. O Smiles está se tornando cada vez mais proibitivo, pelo valor de resgate e pela indisponibilidade de passagens decentes para a Europa.

    • Beatriz

      Sílvio, para saber a quantidade de milhas exigidas para cada trecho, clique no link da calculadora de milhas que está no post. Divirta-se!
      PS: Eu também estou pensando seriamente em começar a pontuar meus voos Delta/Air France no Flying Blue a partir de 2018.

      • SÍLVIO CARNEIRO

        Não prestei atenção nos últimos parágrafos. :-). Estava lá. Obrigado. Constatei que precisaria de 75k e no Smiles, 80k. Só teve uma questão que não postei que é sobre transferências via cartão de crédito, acho que nenhuma bandeira brasileira transfere pontos para o FB.

        • Beatriz

          Acho que o TPC da Amex transfere. Agora, você tem razão – o FB é um programa para quem viaja mais intensamente.

          • SÍLVIO CARNEIRO

            Vi pelos posts abaixo que o AMEX TPC transfere, mas este cartão já joga os pontos no Livelo. Tenho um caminhão de pontos no Livelo por conta do Visa Infinite BB. Para mim, é um problema não transferir pontos. Tenho o AMEX TPC tb, mas passou por um processo de pioria contínua, não tenho intenção de ficar usando-o, a não ser como contingência, já que não pago anuidade. Vi num dos filmes que eles passam na página que explica como vc chega à categoria Ouro. Se não fosse esta questão da transferência de pontos de cartão, eu me juntaria agora. Este teu posto foi extremamente útil, pelo resumo e pelas resposta dadas pelos leitores. Vou considerar bem a possibilidade de adesão, a despeito da restrição dos cartões. Obrigado.

          • Beatriz

            Sílvio, os TPCs emitidos até outubro do ano passado pontuam no Membership Rewards e não no Livelo. Só vão pontuar no Livelo se o cliente decidir cadastrar o cartão no Livelo. Que eu saiba, ninguém que tem o TPC antigo fez isso, porque não vale a pena.

  4. Gilberto

    Eu uso o Flying Blue há 2 anos. Esse ano consegui resgatar um vôo de Seoul para Pequim pela Korean Air e de Pequim para Tóquio pela China Eastern. Cada resgate exigiu 15000 milhas, mais R$79 de taxa, e para pedir reembolso das milhas a taxa é de USD $51. Os dois vôos são para Fevereiro de 2018, durante as Olimpíadas de Inverno na Coréia do Sul.
    As transferências do Membership Rewards demoram em média 2 dias para serem completadas, apesar da American Express informar que pode demorar até 8 dias úteis. Realmente é um programa que recomendo.

  5. Rodolfo

    Não sei o que estou fazendo de errado..RS para mim só aparece delta em classe Business

  6. Daniel

    Prezada Beatriz,

    Excelente post sobre um programa em regra ignorado por nós…

    O TPC de fato transfere para lá… apenas os antigos que possuem o Membership Rewards… entretanto, tal cartão está piorando de forma GRITANTE e ACELERADA, o que me leva à certeza de que o descontinuarei no final do ano (tenho algumas compras “altas” parceladas até lá). E isto sendo um cliente que, neste ano, teve isenção total da anuidade… senão, vejamos:
    (a) os cartões, em regra, estão se atualizando no quesito tecnologia. O AMEX TPC permitia acompanhar gastos apenas do titular pelo app Passbook do iphone; “permitia”, pois cancelou tal há um mês;
    (b) possuía salas VIPs em GIG e outros aeroportos; fechou esta e possui salas VIP’s em aeroportos que possuem salas VIP’s Priority Pass;
    (c) as salas VIP’s, atualmente transformadas em Salas VIP’s Bradesco, aceitam até AMEX GOLD (renda de R$ 6.000,00 para adesão); efeito imediato: salas lotadas, sem qualquer característica VIP;
    (d) atendimento telefônico precário, levando, em regra, no mínimo 5 minutos para confirmar dados do cliente e, então, iniciar o atendimento;
    (e) ausência de promoções do Membership Rewards, provavelmente como uma forma de desencorajar os clientes antigos a permanecer em tal programa (burrice, pois se fizessem promoções, “esvaziaríamos” nossas contas;

    Enfim, o Flying Blue de fato é excelente (emiti neste ano, para viajar ano que vem 02 business JFK-GRU por 62,5k cada uma e pagando meros U$25 de taxas). Mas seu problema é a ausência de cartão de crédito que transfira para o programa no Brasil, excetuando-se os antigos TPC, os quais, como eu, podem estar cancelando o cartão uma vez que, em que pese destinado a um público segmentado, anda pior do que cartão de crédito popular (conheço 03 casais amigos meus que já cancelaram neste ano, em especial pela ausência de negociação na anuidade de R$ 1.200).

  7. Iago

    Oi Beatriz, parabéns pelo seu blog. Tem alguns assuntos muito bons para quem está tentando adentrar no mundo das milhas.
    Dei uma pesquisada no FB e ele parece ser um bom programa de milhas, tentei ver se lá também tem os clubes como temos aqui mas não achei nada a respeito, bem como promoções de compras de milhas com bônus e tudo mais. Mas acho que eu não soube procurar direito, rsrsrs.
    Tenho visto que mesmo aqui no Brasil que os programas não são tão bons, com algumas promoções de transferência com bônus algumas passagens se tornam bem interessantes.
    Tenho tentado “estudar” mais sobre isso, mas ainda estou com um pouco de dificuldade principalmente pelas peculiaridades de cada programa.
    Mas vamos em frente, e obrigado pelas dicas.

    • Beatriz

      Obirgada, Iago! Eu vou dar uma atualizada nesse post até amanhã porque o pessoal do Flying Blue entrou em contato comigo me dando mais informações sobre o programa.

      • Rodolfo

        Me cadastrei faz uns 6 meses e lembro de já ter recebido promoção de compra de pontos com bônus..senão me engano 50% na compra…

        • Beatriz

          Interessante, Rodolfo.

          • Rodolfo

            Consegui achar o e-mail….75k limite de milhas para serem compradas com 50% de bônus..um pouco mais de 2k euros…melhor conseguir voando…rs

  8. Carlos Henrique

    Beatriz, credito de um voo da Gol a cada dois anos é suficiente para renovar a validade das milhas? Tenho uma merrequinha lá que vence no final do ano…

    • Henrique

      Quem dera… Pra renovar a validade das milhas precisa ter acúmulo de milhas status (award) também, neste caso tem que voar com Air France/KLM ou alguma aérea pertencente ao Skyteam.

    • Beatriz

      A GOL não é do Skyteam. O mais barato é alguma coisa pelas Aerolíneas Argentinas.

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén