viaje bem, viaje longe, viaje barato!

LATAM

LATAM é a Primeira a Divulgar as Novas Regras de Bagagens

A LATAM acaba de atualizar o seu site indicando quais serão os parâmetros adotados para a cobrança de bagagem permitida a partir de 14 de março, em virtude da publicação da Resolução 400 da ANAC. Querem saber como vai ficar para os bilhetes emitidos a partir do dia 14 de março? Vamos lá.

BAGAGEM DESPACHADA

Acabou a possibilidade de malas com até 32kg de e para os EUA. Agora, carregar mais de 23 kg significa excesso de bagagem.

Em relação aos benefícios dos membros do LATAM Fidelidade, sinto informar que os clientes Gold só terão alguma vantagem nos primeiros meses – seja lá o que a LATAM quer dizer com “primeiros meses”. Essa linguagem vaga que dá margem para alterações súbitas é absurda.

Também sinto informar que o tratamento entre clientes Platinum, Black e Black Signature será idêntico. Para a LATAM, tanto faz se você conseguiu 40.000 ou 125.000 pontos no ano. É tudo a mesma coisa para a empresa.

Aí a LATAM confirma a ideia inicial que não valoriza seus clientes Platinum, Black e Black Signature: quem for Oneworld Emerald ou Sapphire com outra cia aérea tem os mesmos direitos que os clientes LATAM.

BAGAGEM DE MÃO

Aqui, não há qualquer diferenciação entre os passageiros, seja em relação a destino ou status:

 

EXCESSO DE BAGAGEM

Houve uma simplificação da cobrança, como ocorre com as cias aéreas americanas. O excesso é cobrado conjugando a quantidade de peças com o seu peso. Nas rotas domésticas, a cobrança varia entre R$ 80 – 200. Já para as rotas internacionais de/para a América do Sul, os valores são em dólares e variam entre USD 90 e 180. Para os demais destinos, a cobrança se dá na faixa dos USD 100 e 200 dólares, o que pode significar uma garfada de mais de R$ 600,00.

O PREÇO PARA DESPACHAR

Nos voos domésticos, a primeira mala despachada custará R$ 50,00 e a segunda, R$ 80,00. Fica mantida a gratuidade de uma mala para voos na América do Sul e de duas malas para os demais voos internacionais. Mas não se enganem: o benefício só foi mantido porque o Regulamento 400 prevê a cobrança exclusivamente para voos domésticos.

Vamos lá: a única melhora foi o aumento de peso da bagagem de mão. As demais alterações são claramente desvantajosas para os clientes.

A presidente da LATAM, Claudia Sender, afirmou que espera uma redução em até 20% no preço das passagens até 2020. Ou seja: a cobrança é imediata, mas a redução é a longo prazo e, por enquanto, nada.

Em 6 meses, todos já esqueceram esse assunto e tudo ficará na mesma. Alguém esperava alguma coisa diferente disso?

4 Comentários

  1. Vanio Silva

    Aí eu pergunto, será que vão cobrar por exemplo, de BH para São Paulo, uma mala pequena com menos de 23 quilos, por quanto sairia o preço? É obrigatório tal cobrança?

    • Beatriz

      Oi Vanio, incluí a informação que você queria. O preço será a partir de R$ 50,00 para a 1a mala despachada em rotas domésticas. Se você for despachar mais de uma, a segunda custará R$ 80,00.
      A cobrança não é obrigatória. Cada companhia aérea vai decidir se quer cobrar e, querendo, o quanto vai cobrar.

  2. Flavia

    Quem comprou passagem antes das novas regras (nem era cogitado) mas vai viajar depois de março também terá a bagagem reduzida?

    • Beatriz

      Oi Flavia! Bem vinda ao Milhas e Destinos. Em relação à sua questão, a resposta é não. As regras valem para passagens compradas após 14 de março.

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén