viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Cias Aéreas Estrangeiras, Programas de Milhas

Melhores Resgates do AAdvantage da American Airlines

Seguindo com nossa programação dessa semana, esse é o terceiro post da série Os Melhores Resgates dos Programas de Milhagem Mais Populares do Brasil. Já falamos do LATAM Fidelidade, do Avianca Amigo e, hoje, o post é dedicado ao AAdvantage da American Airlines.

O AAdvantage já foi considerado o melhor programa de milhagem do mundo. Era fácil de acumular milhas e o custo dos resgates era baixíssimo. Agora, seguindo a deusa Delta, o acúmulo é pífio e a tabela sofreu desvalorizações, mas, ainda assim, é possível encontrar alguns trechos que valem muito a pena. O AAdvantage é membro da Oneworld, o que possibilita resgate com as parceiras British Airways, Iberia, Qatar Airways, Cathay Pacific, Japan Airlines, Qantas, Finnair e LATAM dentre outras. Além disso, o programa tem uma parceria com a Etihad, o que possibilita ótimos resgates com uma das melhores companhias aéreas do mundo. Então, vamos à tabela.

O AAdvantage tem duas tabelas de resgate: uma para voos operados pela American e outra para voos operados pelas parceiras. Como a tabela American tem 4 níveis de resgate, eu vou tratar dos resgates MileSAAver. A tabela das parceiras, por outro lado, é fixa.

Em relação à tabela da própria American, não consigo ver muitas vantagens. A melhor relação custo-benefício em todas as cabines é nos voos entre os EUA e a Ásia. Em econômica são 35.000 milhas para voos que duram, em média 11 – 12 horas ou mais. Na executiva, o resgate dos trechos entre Estados Unidos e Japão/Coreia por 60.000 milhas. É difícil recomendar a primeira classe, que é utilizada nos voos para Hong Kong por doloridas 110.000 milhas.

Vamos tratar da tabela das parceiras – essa, sim, tem grandes vantagens.

Econômica

É possível voar com a Qatar ou Etihad entre Europa e Oriente Médio / Sub-Continente indiano por 20.000 milhas. O sub-continente indiando abrange Índia, Sri Lanka, Nepal e Maldivas, dentre outros. O voo direto entre Londres e Delhi, por exemplo, tem 8 horas de duração. 20.000 milhas é um bom negócio.

Outra possibilidade é voar daqui até o Oriente Médio e, de lá, voar para a Ásia. Para o Japão e Coréia são 22.500 milhas e para os demais países da Ásia, 25.000.

Executiva

Aqui as coisas ficam interessantes. É possível voar da Europa para o Oriente Médio/Sub-Continente da Índia por 42.500 milhas. Mas tem um detalhe: como eu disse anteriormente, na Qatar Airways, a cabine premium dos voos intra-Golfo é denominada de primeira classe.

O AAdvantage permite a emissão de cabines mistas. Assim, é possível emitir Londres – Doha – Cairo, sendo Londres-Doha em executiva e Doha-Cairo na primeira classe sem custo adicional. Isso permite que o passageiro tenha acesso ao espetacular lounge Al Safwa em Doha, exclusivo para passageiros de primeira classe.

Mas essa jogada não é possível com a Etihad, porque nela os voos intra-Golfo em cabine premium são da classe executiva.

Quem gosta de experimentar aeronaves novas, a Qatar usa o A350 nas rotas entre Doha e Munique e Zurique, e alguns voos da rota de Londres e Paris. Ao longo do ano, Barcelona, Genebra, Bruxelas, Dublin e Viena serão contempladas com o novo Airbus. O A350 também será utilizado entre Doha e Male, nas Maldivas.

Uma outra recomendação é para os voos entre o Japão e países do sudeste da Ásia, como Singapura e Tailândia operados pela Japan Airlines. São 30.000 milhas em viagens com cerca de 7 horas de duração em uma companhia aérea excepcional.

Também é possível emitir, por 40.000 milhas, passagens em class executiva entre o Japão/Coreia e a Austrália, em voos operados pela JAL ou pela Qantas.

As rotas entre Europa e Oceania também têm alguma vantagem – são 85.000 milhas em dois voos mais longos. Como uma escala é obrigatória, é possível fazê-la no Oriente Médio com a Qantas ou Qatar (não é possível com a Etihad – para ir da Europa para a Oceania com a Etihad é necessária a emissão de 2 trechos), ou na Ásia, com a JAL, Cathay ou Qantas. Considero um bom negócio 85.000 milhas para quase cerca de 21 horas de voo com a Qatar, Cathay ou JAL.

Primeira Classe

Aqui é que fica a jóia da coroa: são 62.500 milhas para voar no The Apartment da Etihad, considerada a melhor primeira classe do mundo. Com o AAdvantage  é possível fazer esse resgate entre Londres e Abu Dhabi, mas o trecho Abu Dhabi – Londres é mais interessante por conta do lounge da primeira classe da empresa em Abu Dhabi.

Pelas mesmas 62.500 milhas, também há a rota Dubai – Londres no A380 da Qantas, com acesso ao lounge da primeira classe da Emirates em Dubai. A Qatar, por sua vez, oferece a primeira classe nas rotas de Doha para Londres e Paris, sendo que esta última tem sempre mais disponibilidade. Neste caso, os passageiros podem desfrutar do Al Safwa em Doha.

Também é possível gastar 50.000 milhas para ir do Oriente Médio para a Ásia em primeira classe. A Qatar oferece voos para Bangkok e Guanghzou no seu A380 e a Etihad opera o B789 na rota entre Abu Dhabi e Singapura. É sempre bom dar uma olhada nas aeronaves que a Etihad opera a primeira classe. Na minha opinião, só vale no A380 e no B789. Nas outras aeronaves, a first é muito desatualizada.

No programa AAdvantage, a estratégia de utilização das milhas é essencial.

Isto porque as regras de acúmulo atualmente são duríssimas, basicamente dependendo do valor gasto com a passagem. A única possibilidade de acúmulo mais consistente é voando nas parceiras em cabine premium.

Uma outra possibilidade de acúmulo é concentrar seus gastos de cartão de crédito no novo Santander AAdvantage, caso o cliente entenda ser vantajoso canalizar todo o seu gasto em um único programa. Para saber mais sobre ele, clique aqui.

Então, amigos, pensem muito antes de torrar 30.000 milhas para ir do Brasil aos EUA em econômica.

Espero que vocês tenham gostado!

Para ler os demais posts da série, clique aqui.

15 Comentários

  1. Marcelo

    Excelente análise!!!

    Aproveito para pedir conselhos…

    Tenho 215k no Aadvantage, 270k no Amigo e mais de 110k no cartão de crédito, além de 62,k na Airfrance.

    Já emiti minha ida à Australia ano que vem, mas tenho dúvidas sobre a volta, a qual necessariamente será com conexão nos EUA.

    Pondero torrar as 215k para SYD-Abu Dhabi e depois Abu Dhabi-JFK…. Seria incrível: duas viagens no Apartment, cada qual na média de 14 horas!!! Depois, usando as milhas Airfrance, desceria dos EUA para o Brasil de business Delta.

    Mas aí bate um remorso de torrar todas as milhas do Aadvantage…

    O que acha? Ponderando que ainda quero ter milhas para, em business, uma nova ida nos States no ano que vem, além de uma ida na Europa….

    • Beatriz

      Marcelo, eu trato as minhas quase 300k milhas do AAdvantage como se fossem ouro! rsssss Contanto que eu tenha movimentação – e pode ser pela simples compra de 1.000 milhas – elas não expiram. Meu medo é a desvalorização da tabela. E como eu já voei no The Apartment, eu não me preocupo tanto com uma futura ruptura da parceria com a Etihad (não ouvi nada a esse respeito!).
      Meu conselho: follow your dreams wisely. Gaste, sim, mas não gaste tudo. Deixe para experimentar outras ótimas companhias aéreas em outra oportunidade. Quem sabe o que o futuro nos reserva? 😉 E cuidado com o prazo de expiração das demais milhas/pontos!

      • Marcelo

        Tentei buscar algumas alternativas com base em seus EXCELENTES posts…

        Ponderei de ir até Seoul ou Singapura de First da Thai com milhas Amigo e, depois, usar milhas LATAM…

        Mas…

        Inexiste disponibilidade LATAM para business!!! Em verdade, existe sim na Oneworld, visto que confirmei tal nos sites da American e da British…

        Mas a LATAM, ao ligar, alega inexistir tal… padrão da LATAM de querer nos forçar a usar suas milhas em seus voos ridículos e de lamentável atendimento.

        Sugere alguma outra forma de sair de SIN ou ICN para chegar a Dubai ou Abu Dhabi (de tal destino, pegarei o Apartment da Etihad para JFK)???

        • Beatriz

          Em executiva, 40.000 milhas da AA pela Etihad (de SIN para AUH voando no B789), Qatar, Cathay; 60.000 milhas Smiles pela Korean; 70.000 Amigo pela Thai, Singapore, Asiana ou Air China; 75.000 milhas Flying Blue pela Garuda.

  2. Marcelo

    Agradeço pelas dicas!!!

    Darei uma olhada se valerá à pena…

    Em tempo, já abusando: acha que vale à pena mudar parte deste retorno para, caso eu use os 40k da AA que vc indicou, ficar, no final, com 75k na AA???

  3. Marcelo

    ainda ponderando… tenho 215k, gastarei as 115k para os EUA (aproveitando o lounge em Abu Dhabi) e, ao invés dos 40k, poderia usar 50k para voar de First da Ásia para Abu Dhabi…

    E a conta minha anterior está errada: com 215k, voando em Business na Ásia para Abu Dhabi, não ficará com 75k, mas sim com 60k.

    Ou seja, complemento a pergunta: vale à pena ficar com 50k ou 60k na AA???? Acha que conseguiria usar tal montante para algo interessante em Business depois??? (Se bem que nada impede comprar milhas depois, pra complementar algo…)

    • Beatriz

      Mas os 50K em F da Ásia para o OM pelo AAdvantage só pela Etihad no B789 de SIN, ou pela Qatar no A380 de BKK ou CAN. Eu já voei pela QR em F e não acho que tem tanta diferença assim pra C.
      Por 60K você vai dos EUA para Japão ou Coreia em C pela JAL que é excepcional. Acho interessante, mas a decisão é sua.

  4. Daniel

    Prezada Beatriz,

    Estou acompanhando esta troca de ideias e só tenho de lhe parabenizar pelas dicas INCRÍVEIS, as quais ora me servem de inspiração…

    • Beatriz

      Oi Daniel, muito obrigada pelo apoio de sempre! O suporte e as suas dicas são muito importantes, especialmente para mim que estou, pouco a pouco, conquistando a confiança dos leitores!

  5. Guilherme P.

    Primeiramente, meus parabéns pelo site! A leitura dos seus reviews e de suas dicas e agradável e sem tendências! Conheci há pouco, mas, já é um dos meus favoritos!

    Minha dúvida é em relação à possibilidade de emissão para voar no ” The Apartment” da Etihad. A emissão pelo AAdvantage seria somente pelo Call Center? Além disto, existe alguma forma online de verificar disponibilidade?

    Muito obrigado e, mais uma vez, parabéns!

    • Beatriz

      Oi Guilherme, obrigada pela força. Em relação às suas dúvidas, sim – a emissão é só via call center. E quanto a verificar a disponibilidade, acabei de publicar um post sobre isso! 🙂

      • Guilherme P.

        Beatriz, não só li seu post, como já o salvei! Fico torcendo para a AA não mudar a tabela no ano que vem! Graças a estas suas dicas estou planejando A (maiúsculo, mesmo) viagem de lua de mel! Mais uma vez, obrigado e parabéns pelo trabalho!

  6. Alexandre

    Olá Beatriz,
    Alguma dica de uso em classes superiores que tenha como ponto de partida o Brasil?
    Estou com 120 mil milhas no Aadvantage e estou pensando na possibilidade de turbinar com as milhas bônus do novo cartão santander. Minha disponibilidade de datas é vasta mas a quantidade de dias é limitada, por isso gostaria de já sair do Brasil direto pro meu destino.
    Outro ponto interessante seria Londres para Oriente Médio com essas minhas milhas, alguma sugestão de como ir mais barato com milhas para Londres e depois retorno para o Brasil direto do Oriente Médio? essas poderiam até serem em econômicas.
    Obrigado

    • Beatriz

      Oi Alexandre, essas 120k milhas me parecem pouco para 2 continentes. De executiva, você só consegue ida e volta para os EUA, pois para a Europa são 87.5k por perna. Do Oriente Médio para o Brasil em econômica são 60k. Ou seja, dá para vc fazer Brasil-Oriente Médio – Brasil pela Qatar, mas é em econômica.
      Mas tudo pode mudar dependendo de quantas milhas vc vai conseguir com o Santander. Dá uma olhada no site do AAdvantage e experimente estratégias diferentes.

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén