No início, não havia nada. Você voava na cia aérea que tinha disponível na sua cidade de partida e que ia pro destino que você queria. O ideal era o preço mais baixo – e ainda é – e não a cia aérea. Só que nos Estados Unidos, grande parte dos passageiros viaja a negócios, e muitos deles viajam mais de uma vez por semana na mesma cia aérea.

Em 1972, a United começou a dar brindes aos seus passageiros frequentes. Daí foi um pulo até 1991 quando a American Airlines criou o AAdvantage, o seu programa de passageiros frequentes (PPF) que, inicialmente, dava descontos nas passagens aéreas aos seus membros. O conceito foi desenvolvido ao longo dos anos até chegar às milhas.

E como funciona? Basicamente, você se inscreve gratuitamente num programa e, a cada vez que viaja na cia aérea, você ganha milhas que vão te gerar dois grandes benefícios: 1 – status na cia aérea e 2 – milhas para usar em passagens aéreas “gratuitas” (entre aspas mesmo, né? Afinal, você teve que pagar uma passagem pra receber essas milhas “grátis”).

 

1 – STATUS NA CIA AÉREA

Grosso modo, os programas de passageiros frequentes “dividem” seus passageiros de acordo com a quantidade de milhas voadas em certo período. Quem voa mais, tem status mais alto. Isso é uma falsa verdade hoje em dia. Alguns programas, como o AAdvantage da American Airlines, exigem que além das milhas voadas, você gaste um valor mínimo – que não é tão pequeno assim, aliás, é grande – para ganhar status. E quem tem status mais alto, tem mais benefícios – acesso às salas VIPs, prioridade para entrar na aeronave, prioridade em upgrade de classe, maior franquia de bagagem, milhas bônus extra etc. Em outras palavras, quanto mais alto o seu status, maiores são os seus benefícios.

 

2 – MILHAS PARA USAR NA AQUISIÇÃO DE PASSAGENS AÉREAS

Vamos usar um exemplo pra ficar bem claro. Vamos supor que você tenha se filiado ontem ao LATAM Fidelidade – ou seja, não tem status – e vai viajar pela cia hoje para NY, ida e volta em econômica, na ACCESS, a tarifa mais barata. Uma viagem de ida para NY te rende cerca de 4700 milhas (100%). Ida e volta, então, vão te garantir 9,400 milhas na sua conta, caso você não tenha status com a LATAM.

Há outros fatores que podem ser envolvidos nessa conta. Se você compra uma tarifa mais cara, como a FLEX também de econômica, você vai ganhar 125% das milhas, ou seja 9,400 (100%) + 2,350 (25%) = 11,750 milhas. Se você viajar em classe executiva para NY, você ganha 200% das milhas, ou seja 18,800 (9,400 x 2)

Na verdade, quanto mais você gasta, mais milhas você vai receber e você estará mais perto a sua passagem “gratuita”.

Mas, amiguinhos, fiquem espertos! Cada cia aérea tem suas regras de acúmulo de milhas e elas são beeeem diferentes. Esse exemplo que eu dei acima é exclusivo pro LATAM Fidelidade em voos comercializados pela LATAM.

Mas as cias aéreas foram percebendo que juntas elas podiam oferecer mais rotas e benefícios e atrair mais clientes. Esses acordos evoluíram no que é hoje chamado de “alianças aéreas”. Esse é um conceito que você PRECISA, NECESSITA, TEM que entender. Entendeu? Tá tudo explicado aqui.