viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Cias Aéreas Brasileiras, Programas de Milhas, Variados

Os Clubes de Milhas Passaram a Valer a Pena?

Os programas de milhagem das três principais transportadoras aéreas brasileiras – Smiles, LATAM Fidelidade e TudoAzul – possuem os chamados “clubes de milhas”. Basicamente você faz adesão ao plano, pagando uma mensalidade, e recebe pontos/milhas mensalmente na sua conta. É certo que o ideal é que não se pague nada para acumular milhas na conta do programa de milhagem – isso, ninguém discute.

Mas há três fatores novos a serem considerados:  (a) as alterações promovidas recentemente pelos programas dificultaram o acúmulo de milhas, (b) as alterações não dificultaram o acúmulo de milhas, mas aumentaram o número de milhas/pontos necessários para o resgate, ou (c)  bloquearam a disponibilidade dos resgates mais vantajosos, como o Smiles fez com a executiva da Alitalia que não está mais disponível.

Vou falar aqui especificamente do Clube Multiplus tendo em vista as últimas mudanças do LATAM Fidelidade. Para saber mais sobre as mudanças do LATAM Fidelidade que passaram a vigorar a partir de 1o de janeiro, clique aqui e aqui.

Em primeiro lugar, a gente deve se perguntar o que é importante em um programa de milhas para as pessoas que viajam de avião com frequência. No meu caso, há dois fatores que me impulsionam a me fidelizar a um programa: o status e o acúmulo de milhas para posterior emissão de passagens que, de outro modo, eu não teria como arcar com os custos. Em relação ao status, já discuti em um post (clique aqui para ler) o porquê o considero essencial na minha vida de viajante. Já em relação ao acúmulo, os clientes LATAM, em geral, sofreram um grande baque com as mudanças  do programa para 2017.

Mas vamos aos fatos relacionados ao Clube Multiplus e o acúmulo de milhas.

Você pode aderir ao Clube e receber milhas todo o mês. A mensalidade mínima é de R$ 26,90, podendo acumular 7.500 pontos ao ano. O plano mais alto custa R$ 162,90 ao mês acumulando 75.000 milhas por ano. 

Então, vamos fazer uma tabela comparativa básica.

Agora, vamos pegar 2 exemplos de passagens aéreas com a LATAM: uma internacional e uma doméstica.

Primeiro Exemplo

Passagem promocional em executiva do Rio para Frankfurt anunciada essa semana pela empresa: R$ 4.940,00 com taxas e R$ 4.443,00 sem taxas.

As milhas acumuladas dependem do status do passageiro no programa.

R$ 4.443,00 na cotação oficial de 6a feira, o dólar estava a R$ 3,22, o que dá o custo da passagem, em dólares, de US$ 1.379,81. Assim, cada categoria vai acumular a seguinte quantidade de pontos:

E aqui vai a tabela com o valor de cada ponto acumulado:

Lembrando o seguinte: o cálculo dos pontos acumulados é feito sem as taxas, como determina o programa LATAM Fidelidade. Mas, para calcularmos o custo por ponto,  temos que incluir o que foi efetivamente gasto pelo passageiro.

Segundo Exemplo

Passagem doméstica São Paulo – Recife, ida e volta, a R$ 613,00 sem taxas e R$ 670,11 com taxas.. Assim, cada categoria vai acumular a seguinte quantidade de pontos, com base nos R$ 613,00 gastos.

___________________________________________________________________________________________

Gente, não há muito o que discutir nesse caso. Atualmente, o Clube Multiplus é, sem dúvida alguma, a melhor maneira de acumular pontos no LATAM Fidelidade. Se um dos seus motivadores de fidelização ao programa da LATAM é o acúmulo de milhas, é mais vantajoso se filiar ao Clube Multiplus do que voar.

O custo mais alto por milha no Clube é de 0,043 o que é 3x mais barato do que acumula um passageiro com status Black Signature em um voo nacional entre SP e Recife! É uma diferença de, apenas, 300%!

Vamos imaginar uma outra situação. Gastando R$ 1.629,00 (10 x R$ 162,90 no Clube Multiplus 5.000) você adquire 65.000 milhas. Com essas 65.000 milhas você consegue ir da Europa ao Oriente Médio pela Qatar em primeira classe.

Para acumular essas 65.000 milhas voando, um passageiro Black Signature precisa ir 4 vezes para Frankfurt em executiva (16.577 pontos x 4 = 66.308 pontos). Aproveitando somente passagens em promoção, esse passageiro precisa gastar R$ 19.760,00 para tanto. Neste caso, é mais do que 10x mais caro acumular milhas voando do que pagando o Clube Multiplus.

Não sei se o pessoal do Multiplus já se deu conta disso, mas acredito que, na hora que eles perceberem o quão vantajoso está o Clube em comparação com a compra de passagens para acúmulo de milhas, certamente haverá mudanças. Para pior, como sempre.

É claro que cada um tem suas preferências e prioridades em relação a viagens e milhas/pontos. Não quero, de modo algum, vaticinar uma verdade. Só espero ter contribuído para iniciar um debate saudável entre aqueles interessados no assunto.

E por falar nisso, o Multiplus está com uma promoção na compra de pontos. Clique aqui para saber.

2 Comentários

  1. Bernard

    Esperava uma comparação principalmente entre Smiles e Multiplus. Smiles tem a mesma coisa (clube Smiles no qual pago 150,00 por mês e nos 3 primeiros meses ganhei 10.000 pontos e depois 5.000 por mês). Consigo ver vantagem a uma minoria no qual tem status black ou um dos últimos. Não estou acusando ninguém, mas acho uma reportagem tendenciosa. Seria muito interessante a um site com credibilidade como vocês uma comparação real entre elas.

    • Beatriz

      Oi Bernard, obrigada pela sugestão. Vou fazer um post comparando os dois clubes. De acordo com meus cálculos – e como está no post, vale mais a pena comprar os pontos Multiplus do que ganhá-los voando, mesmo sendo Black Signature.

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén