viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Azul

Problemas com os A350 da Azul

Amigos, em 2014 a Azul encomendou cinco aeronaves A350-900 XWB para a Airbus a serem entregues em 2017. Entretanto, já em junho de 2016 houve informações de que duas das cinco aeronaves seriam entregues à Hainan, cia aérea chinesa que pertence ao grupo HNA que, por sua vez, tem participação acionária de 23.7% na Azul. Além da HNA, a United também tem participação societária de 5% da Azul.

Desde novembro de 2015, a Azul enviou 17 aeronaves para a TAP, por conta da participação acionária da Azul na cia aérea portuguesa. Foram 11 Embraer SA 190, seis ATR 72-600 e um Airbus A330.

Em dezembro de 2016, a empresa começou a operar com o eu primeiro A320neo de 25 encomendados, com dois voos diários entre Campinas e Salvador. Atualmente, há seis A320neo em operação na Azul.

Mas hoje, o Aeroin informou que uma fonte interna da Airbus confirmou que os A350 XWB não serão mais entregues a Azul. Ainda não se sabe, contudo, qual será o destino das três aeronaves remanescentes, já que duas já foram redesignadas para a Hainan.

A notícia não é das mais animadoras, ainda mais com a recente informação do jornal Valor que a Gávea Investimentos, a gestora de ativos de Armínio Fraga, negocia a venda de sua participação na Azul por conta da demora da empresa em fazer uma IPO (clique aqui para acessar o artigo do Valor).

Será que teremos grandes novidades no mercado doméstico de aviação nos próximos meses? O que vocês acham?

 

 

 

4 Comentários

  1. Daniel

    A impressão que tenho da empresa é de que foi uma empresa com uma proposta inicial muito boa, com excelentes aeronaves para trechos internos e Bins preços… quanto aos preços, esclareço que resido na região sudeste, voando entre as capitais de alguns dos Estados desta.

    Todavia, com o tempo a Azul disparou o preço das passagens…

    Para piorar, seu programa de milhagem para quem pretende viajar ao exterior se mostrou muito fraco, salvo se for com voos da própria azul, a qual apenas desce em FLL sem qualquer conexão.

    Enfim, perdeu atratividade. Eu, por exemplo, deixei de ser passageiro, isto de alguém que chegou a Safira de tanto viajar à época.

    Agora, está sendo “repensada” por seus sócios, perdendo boas aeronaves para estes, o que a restringirá a voos regionais com bom hard product.

    • Beatriz

      Pois é, Daniel, a Azul voa para cidades que não são atendidas por nenhuma outra cia aérea e essa ideia de integração, com hubs em Campinas, Belo Horizonte e Cuiabá – fora do eixo RJ / SP – é muito boa. Agora, a expansão internacional está complicada, apesar de um aumento de frequência pra Flórida e para Lisboa, ou seja, nenhuma rota nova.
      Quanto ao TudoAzul, eu o considero o programa de milhagem mais fraco das cias aéreas brasileiras no geral. Mas reconheço que, para aqueles que só resgatam trechos domésticos ele tem seus atrativos.

  2. LEONARDO OLIVEIRA

    Na minha humilde opinião, para o meu caso que moro em BH e é o maior HUB da Azul depois de campinas, pensando em resgates NACIONAIS o Tudo Azul tá ganhando em 90% das vezes do Multiplus e Smiles. Concordo que é péssimo pra resgates internacionais e as parcerias com a TAP e UNITED tem resgates com uma tabela bem alta, mas repito, pra resgate NACIONAL é o melhor pra mim. Minhas três próximas viagens no Brasil são ida e volta com a Azul com milhas!

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén