viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Programas de Milhas, Programas de Milhas, Variados

Programas de Milhagem Brasileiros: Resgates Cada Vez Mais Difíceis

Quem acompanha esse e outros blogs de milhas com certa regularidade já percebeu que os programas de milhagem brasileiros estão dificultando cada vez mais os resgates de passagens aéreas.

Me lembro quando lancei o Milhas & Destinos há menos de um ano, leitores comentavam a facilidade no resgate de passagens no TudoAzul tanto em relação à disponibilidade como à quantidade de milhas exigidas.

Nos bons tempos de Smiles era comum achar bilhetes em executiva na Qatar saindo de Doha para diversas cidades da Ásia, assim como de cidades da Europa para Doha. Eu mesma emiti Doha – Bangkok na primeira classe por 32.500 milhas, comprando com relativa antecedência. Também era  fácil achar passagens do Rio para Tóquio por 100.000 milhas na executiva da Alitalia. Tenho certeza que muitos de vocês têm histórias de bons resgates para contar.

Até mesmo na LATAM era possível emitir boas passagens – tanto nas companhias da Star Alliance como nas da Oneworld – sem grandes esforços. Bastava uma quantidade razoável de pontos e um bom planejamento.

Hoje em dia, só leio reclamações sobre todas elas: quantidades surreais de milhas/pontos e impossibilidade de resgate são frequentes.

O Smiles praticamente só serve para emitir Delta e TAP em promoção e, para os mais aventureiros, ainda há a opção da Korean. Não consigo mais achar a Qatar na executiva em nenhum trecho, ainda que eu procure com 364 dias de antecedência. O resgate  na Etihad e na Emirates, além de raros, custam um rim e um olho. Idem para quem tenta emitir Air France e KLM – são raríssimas as oportunidades em executiva.

O LATAM Fidelidade encerrou os resgates com a Star Alliance e não se deu ao trabalho de avisar aos clientes. A emissão com as parceiras online, só com muita paciência e antecedência (e só pode emitir com origem/destino no Brasil). Os resgates na própria LATAM custam o dobro do que as parceiras cobram.

E o Amigo é o desgosto de muita gente. As pessoas transferiram os pontos do cartão de crédito para o programa e não conseguem emitir com as parceiras da Star Alliance. A disponibilidade até aparece, mas na hora de emitir, o sistema trava e ninguém consegue. É um verdadeiro boicote ao cliente.

Está mais do que na hora de uma retaliação maciça aos programas. Dentre as medidas que podem ser tomadas estão as reclamações nos canais governamentais, nas empresas, na Oneworld e na Star Alliance; não transferir pontos do cartão de crédito para forçar melhores promoções; cancelar assinaturas dos clubes de milhagem etc.

Temos que entender que o único elemento essencial dos programas de milhagem são os clientes.  Sem nós, não há lucro.

22 Comentários

  1. Rodolfo

    Ultimamente não está valendo ser fiel a nenhuma…acúmulo as milhas dos cartões e só transfiro quando vou utilizar pra emitir passagens…quando as milhas vem dos vôos tento pontuar nos programas onde as milhas não expiram desde que tenha movimentação pra algum dia conseguir emitir algo… difícil

    • Beatriz

      Já até passei desse nível com as brasileiras, Rodolfo. A minha questão agora é mesmo o que fazer com os pontos do cartão, já que as boas emissões com as parceiras estão praticamente impossíveis.

      • Rodolfo

        Sim.. infelizmente poucos cartões transferem para as estrangeiras…como minhas viagens planejo com antecedência até consigo algumas coisas interessantes por Avianca quando é para os estados unidos….para Europa costumo pagar em cash a ida normalmente com a TAP e volto com milhas normalmente do Multiplus..por Paris..trecho saindo 33K milhas..econômica….em executiva só quando viajo sozinho… então Vôos oneworld vai pro aadvantage e na star Alliance pro lifemiles…skyteam tenho vôos pela Alitalia e airfrance tô vendo ainda pra onde mando essas milhas provavelmente Smiles infelizmente…

  2. Luiz Servantes

    Sem mencionar que além das dificuldades colocadas pros resgates, as companheiras aéreas nacionais sistematicamente pioram o sistema de pontuação dos trechos voados. Ou seja, perdemos nas duas pontas: menor pontuação atribuída por trecho e maior dificuldade no resgate, seja pelos preços elevados, seja pela baixa disponibilidade. Lamentável.

  3. Antonio Florencio

    Era fácil achar na Latam passagens para os EUA por 20k ou menos e passagens para Europa por 30k ou menos. Hoje é impossível.

  4. Jailson Rodrigo Pacheco

    Em 2012 eu fiz Curitiba – São Paulo – Santiago – Assunção – Buenos Aires – Curitiba por 25 k com um dos trechos em executiva.
    Em 2014 fiz México ida e volta por 30 k. Mas, em geral não consigo achar nada que valha a pena.

  5. Leonardo

    Enquanto isso, tanto a múltiplus, quanto o Smiles, não param de dar lucro. A ação da smiles vale, em média, 8x a da Gol. Será coincidência?

    • Beatriz

      Alguns programas de fidelidade têm maior valor de mercado do que as próprias cias aéreas, como a American Airlines, por exemplo. O lucro do Smiles é muito superior ao lucro da GOL. Eu até disponibilizei o demonstrativo contábil do 1T2017 da GOL que mostra isso.

  6. Carlos Henrique

    Eu desisti de Smiles e Latam Fidelidade. Sou cliente Bradesco e atualmente acho que o único parceiro da Livelo que vale a pena é o TAP Victoria.

    • Beatriz

      Oi Carlos Henrique! Vc está conseguindo emitir nas parceiras da Star Alliance em executiva/first no TAP Victoria sem problemas?

      • Carlos Henrique

        Na verdade nunca fiz. Só fiz emissões com a própria TAP até hoje. Mas acompanho outros blogs onde o serviço de emissão de bilhetes por telefone da TAP é bastante elogiado.

  7. Douglas

    Ao invés de transferir os pontos do Santander Esfera direto para o Multiplus, não compensaria transferir para o Iberia Plus, transformando as milhas em avios e de lá portar 1-1 para o BA Executive Club e, por exemplo, emitir em parceiras da One World (AA, LATAM etc)? Além disso, pelo que sei, os Avios nunca expiram na BA desde haja movimento a cada 36 meses. Certo?

    • Beatriz

      É uma estratégia, Douglas. Mas tudo depende da sua finalidade. Por exemplo, emiti executiva da Ásia para o Brasil (Cathay e Iberia) por 110k no Multiplus. E a ida Rio-Londres-Singapura é na first da BA por 140k (a F da BA não é lá essas coisas). Mas em nenhum dos casos vc consegue emitir com essa qtde de Avios.

      • Douglas

        Beatriz, e para emitir voos AA, mesmo classe Y, Brasil – EUA, não compensa emitir via BA?

        • Beatriz

          Sim, via BA são 25k Avios contra 35k Multiplus do Rio/GRU para JFK, por exemplo.

          • Douglas

            E os Avios no EC nunca expiram desde que se movimente a conta a cada 36 meses (ex: comprar 1 Avios). Isso mesmo?

  8. Beatriz

    @Douglas: sim!

  9. LEONARDO OLIVEIRA

    Atualmente concentro tudo no Tudo Azul. Pra mim é o único que tá valendo a pena para resgates nacionais e como a maioria do pessoal vai é pra Europa ou EUA, a Azul tem vôos pra lá e sempre tem várias promoções de 80% de bônus de transferência do cartão de crédito.
    Enfim, claro que tudo depende do perfil de cada cliente, mas atualmente uso o Tudo Azul, pra mim é o melhor, digo, o menos pior 🙁

    • Beatriz

      Você é uma exceção à regra, Leonardo. Só leio reclamações sobre como o TudoAzul piorou muito no último ano … Mas em termos de malha doméstica, a Azul é imbatível.

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén