viaje bem, viaje longe, viaje barato!

Variados

Programas de milhas com melhor disponibilidade de resgate de passagens prêmio

A consultoria IdeaWorks anualmente divulga os resultados de sua pesquisa sobre os programas de milhas com melhor disponibilidade de resgate de passagens prêmio. Os resultados são bem interessantes e mostram que, no geral, a disponibilidade está piorando a cada ano.

O primeiro quadro refere-se ao grau de facilidade de resgate para o tipo mais básico e popular de prêmio oferecido pelo programa, e o resultado está abaixo. O LATAM Fidelidade não conseguiu estar entre os 20 melhores, mas surpreendentemente, o LATAM Pass ocupa a 19a posição, com 48.6% e um aumento na disponibilidade de 3.6 pontos de 2016 para 2017.

O Smiles ocupa a 18a posição, com 54.3% de disponibilidade . Mas a coluna da direita informa as mudanças entre 2016 e 2017: o Smiles sofreu a maior queda dentre os 20 primeiros colocados – 22.9 pontos.

Das companhias estrangeiras que voam para o Brasil, Miles & More do grupo Lufthansa/SWISS/Austrian é o programa com melhor colocação – 3o lugar, com 90.7% de disponibilidadem, seguido do Aeroplan da Air Canada. Aliás, a Air Canada vai cortar os laços contratuais com o Aeroplan a partir de 2020 (leia aqui). Em seguida, temos o Miles&Smiles da Turkish, em 8o lugar e 79.3% de disponibilidade. O programa da Turkish é bem problemático, pois só é possível resgatar bilhetes prêmio com as parceiras da Star Alliance via email. Só de pensar me dá uma desânimo danado. Em 10o lugar, ficam empatados o BAEC (British Airways Executive Club) e o Sky Miles da Delta.

A Delta é a melhor colocada das 3 grandes americanas, com a United em 13o lugar e a American em 18o lugar e com uma redução de 5.7 pontos entre 2016 e 2017. Triste lembrar que o AAdvantage já foi um dos melhores programas de milhas do mundo.

O segundo quadro refere-se exclusivamente à disponibilidade em voos longos (mais de 2.500 milhas). O Smiles não aparece por conta das limitações da GOL. Mas o panorama atual é de queda na disponibilidade. Em 16 programas, apenas 4 melhoraram a sua disponibilidade e 9 pioraram (3 entraram na lista esse ano). Apenas o Mileage Plan da Alaska Airlines , teve um aumento expressivo: 17.1 pontos (eu fiz um post sobre o programa há um tempo atrás – clique aqui para ler).

Por fim, a última tabela refere-se exclusivamente a programas da América do Norte e mostra o retorno que o cliente tem a cada dólar gasto com a passagem aérea comprada, excluindo as taxas. Por exemplo, uma passagem com milhas no MileagePlus da United Airlines custa 25.000 milhas. Se o passageiro fosse comprá-la na tarifa mais baixa, gastaria USD 249, e ganharia 1,247 milhas no programa de milhas. Ou seja, o cliente teria que fazer cerca de 20 viagens para acumular milhas suficientes para fazer o trajeto “gratuitamente”. O retorno é calculado dividindo os USD 4,980 gastos nas 20 viagens divididos por 25.000, que dá 5%. Ou seja: cada dólar gasto dá um retorno de 5 centavos. Mais uma vez, a Alaska Airlines dá um banho nas concorrentes por dois motivos: além de dar o maior retorno – 11.4% – ela ainda melhorou os índices de 2016 para 2017.

Das legacy carriers, a Delta é que melhor remunera o gasto com passagens pagas, com 5.8% e a American é a pior com 3.9%.

O dado que mais me chamou a atenção no relatório foi a predominância do Mileage Plan como o melhor programa da atualidade da América do Norte. E com um detalhe importante: o programa não é revenue based (ainda), ou seja, ele privilegia quem efetivamente voa com a companhia aérea. Em outras palavras, para a Alaska Airlines, fidelidade é o que importa.

Para acessar o estudo completo, clique aqui.

2 Comentários

  1. Alice

    Oi Beatriz! Você obteve sucesso no status match com a Mileage Plan da Alaska Airlines?

    • Beatriz

      Eu não tentei, Alice, porque consegui OW Emerald até março de 2019. Vou pensar na estratégia adequada para voar a partir de 2018 (para ter status até 2020).

Deixe um comentário

Theme by Anders Norén