E agora, José? Alguns leitores nos enviaram inbox perguntando qual seria a melhor estratégia para aqueles que pertencem ao AAdvantage da American Airlines.

Pois é, está sendo duro de engolir. Eu sou Executive Platinum – que é Oneworld Emerald – já tem uns anos e digo: infelizmente, optei pelo divórcio. Vou fazer um último voo esse ano só pra chegar no Million Miler (voando 1 milhão de milhas exclusivamente com a AA e parceiras da Oneworld) e vou pro LATAM Fidelidade.

Explico minha decisão, que tomei com pesar, tá? 

Por quê não ficar no AAdvantage? Pelo fato de que não poderei alcançar status somente voando, terei que ter um gasto mínimo como expliquei aqui. No meu caso, para manter o Executive Platinum, eu teria que voar 100.000 milhas e gastar R$ 40.000,00/ano (US$ 12.000) com passagens só na American Airlines. E todas as mudanças que foram feitas – absolutamente t-o-d-a-s – foram prejudiciais aos passageiros frequentes.

Por quê ir pra LATAM? Não terei que realizar gasto mínimo, pra começar. Voando LATAM eu consigo 100% das milhas voadas, independentemente do status. Se eu voar 60.000 milhas em executiva somente com a LATAM, eu já me torno Black, o que me dá status Emerald na Oneworld. Caso contrário, as 100.000 milhas em qualquer cia da Oneworld já vão dar conta disso.

Por quê não ir pro Smiles ou pra Azul? Nenhuma delas tem o suporte e os benefícios de uma aliança aérea. Ser Ouro ou Diamante no Smiles só tem vantagem no Smiles. Idem para o TudoAzul.

Por outro lado, a Avianca é membro da Star Alliance, mas a malha aérea doméstica é muito limitada para pontuar e a Avianca Internacional tem outro programa de milhas (Lifemiles) que não tem nada a ver com o Amigo da Avianca Brasil.

E vocês, o que pretendem fazer?