Amigos, o Milhas e Destinos essa semana foi meio devagar por um motivo nobre. Estive ausente pois estava fazendo o que mais gosto: viajando!   Voltei hoje e já estou preparando diversos posts sobre a viagem. Mas vou adiantar um pouco:  fui para Tóquio com a American Airlines, partindo de São Paulo.

Peguei um voo da GOL do Santos Dumont para Guarulhos. Escolhi a GOL por 2 motivos: o primeiro é que a LATAM não faz esse trajeto – ou eu teria que sair do Tom Jobim, que é longe, ou saindo do Santos Dumont, eu teria que pousar em Congonhas, que também é longe. O segundo motivo é que me faltam pouquíssimas milhas para ser Ouro na GOL, então, não tive dúvida.

Já no check-in fiquei na maior dúvida: pontuo na American ou na LATAM? Vou fazer um post só sobre isso e pedir ajuda aos universitários. Mas adianto que pontuei na American.

Dei uma olhada na sala VIP do Mastercard Black – que estava lotada! Mesmo assim, entrei, fotografei e escrevi um post que você pode conferir aqui. Mas preferi ficar no Admiral’s Club da American Airlines – que também estava cheio, mas a qualidade das comidas e bebidas é bem superior. Não tirei fotos do Admiral’s Club porque em novembro estarei lá de novo, então não quero ficar repetindo post.

Mastercard Black Lounge GRU

Mastercard Black Lounge GRU

Peguei meu voo de São Paulo para Dallas, na classe executiva do 77W, que você pode ler aqui. Ao chegar em Dallas, fiquei no Admirals Club de lá até a hora de abertura do Flagship Dining – a sala de refeições para clientes Executive Platinum. Também relatei isso tudo aqui. Tirei pouquíssimas fotos porque fui proibida pela senhora que tomava conta do ambiente. Pode isso, produção?  Só pode ser vergonha de apresentar um produto tão tosco na “casa” da cia aérea …

AA Flagship Dining DFW

AA Flagship Dining DFW

Bom, de Dallas rumei para Tóquio no 772 retrofitted. Para meu desespero, não consegui upgrade, apesar de ser a primeira da lista. A executiva estava lotada e fui no puleirinho. Não tirei fotos porque a gente não amplia derrota, né não? 😉

Fiquei pouquíssimos dias em Tóquio, mas realizei um sonho que acalento há mais de 10 anos (o que os americanos chamam de “bucket list”): vi um show do Brad Mehldau no Blue Note de Tóquio (adoro jazz!). Gente, foi um drama pra comprar esse ingresso online. Passei horas no computador aqui no Brasil tentando. Coloquei tudo no Google Tradutor pra conseguir. O site é todo em japonês sem versão em qualquer outra língua (clique aqui para sentir o meu drama!).

Mori Art Museum Tóquio TYO

Mori Art Museum Tóquio TYO

Voltei via aeroporto de Haneda, onde pude conhecer o lounge da primeira classe da Japan Airlines. Dá uma olhada aqui que é incrível – mas vai até o fim do post pra sentir a beleza! Saí da cidade na 6a feira dia 14 e cheguei em Los Angeles 5a feira dia 13! Me digam se não é o máximo? Bom, em ambos os trechos voei de executiva (amém, Senhor!) e no mesmo avião – um Boeing 788 – o “Dreamliner”. Não foi o mesmo modelo, foi o mesmo avião! Só mudei de lugar. Em Los Angeles, dei uma passada no Flagship Lounge da American, que você pode dar uma olhada aqui. A viagem de Tóquio para Los Angeles você pode ler o trip report aqui, e a de Los Angeles até Guarulhos, aqui.

Business Class AA B788

Business Class AA B788

Ao chegar em Guarulhos, peguei o voo de volta pro Santos Dumont pela GOL e peguei um Uber pra casa.  Bom, espero que esse resuminho possa me redimir um pouco. Aguardem que já, já tem mais!