Muita gente tem reclamado que o Amigo está bloqueando o resgate de bilhetes na primeira classe da Lufthansa. Fui dar uma investigada e meus achados são os seguintes:

(1) Não há qualquer disponibilidade para emissões com milhas na primeira no sentido Frankfurt – Brasil nos próximos 14 dias no Lifemiles, ANA e Amigo.

(2) Entretanto, é possível achar disponibilidade para a first da LH com o MileagePlus, mas limitada a 4 dias de antecedência

(3) No Lifemiles, MileagePlus e ANA, a disponibilidade para as cabines premium (business e first), seja saindo do Brasil ou voltando da Europa para São Paulo para só aparece com 9 dias de antecedência.

(4) O Lifemiles mostra disponibilidade na business em determinado dia, mas o assento não aparece como disponível no site da ANA. O contrário também é verdadeiro. O Amigo, por sua vez, mostra disponibilidade em um determinado dia que não aparece para o Lifemiles. O contrário também é verdadeiro.

(5) Apesar de a LH não disponibilizar assentos para as parceiras na First, há diversos assentos disponíveis para voos em curto prazo de acordo com o ExpertFlyer (exemplo do dia 17 de novembro Frankfurt-São Paulo na primeira classe):

Minhas conclusões – que podem estar equivocadas:

A Lufthansa está bloqueando toda a disponibilidade para as parceiras em primeira classe, à exceção do MileagePlus, em que está bem restrita, mas não bloqueada.

Aquele prazo de 14 dias para a liberação dos assentos na primeira classe parece não ser mais condizente com a realidade. Quem quiser voar na first da LH deve checar a disponibilidade com 7 semana, sendo 4 dias de antecedência o período mais provável.

Quanto à executiva, não há qualquer padrão a ser seguido – o que aparece no Lifemiles e no MileagePlus, pode não aparecer na ANA e no Amigo: uma análise  com as disponibilidades desses 4 programas para os próximos 10 dias vai dar inúmeros resultados diferentes para uma mesma rota.

A disponibilidade em econômica permanece boa em qualquer dia e rota.

O único padrão que é possível determinar com mais certeza é que, no geral, está cada vez mais difícil o resgate nas cabines premium com parceiras dos programas de milhagem.