O Gary Leff, do blog View From the Wing, publicou dois posts hoje sobre a possível entrada da Alaska Airlines e da Royal Air Maroc na Oneworld.

A aliança anunciará um novo membro no dia 5 de dezembro e as apostas são na companhia africana. Ela entraria como full member, ou seja, todos os privilégios no acúmulo, resgate e qualificação para status seriam compartilhados com as demais companhias-membro.

Há rumores, inclusive, que a American irá anunciar a rota Philadelphia – Casablanca brevemente. Por outro lado, a Royal Air Maroc vai inaugurar a rota Casablanca – Miami no dia 3 de abril.

A entrada da empresa africana seria uma grande vitória para a Oneworld, que não tem nenhuma companhia aérea operando no continente. A Star Alliance tem a South African, a Egypt Air e a Ethiopian, ao passo que o Skyteam team a Kenya Airways.

Já o caso da Alaska Airlines é diferente. Segundo Leff, ela entraria nos mesmos termos da Fiji Airways – como membro Connect. Um membro Connect deve ser apoiado por 3 empresas da aliança. Com elas é possível acumular e resgatar bilhetes, assim como creditar milhas e trechos para fins de aquisição de status. Com os demais membros da aliança os benefícios são mais restritos: check-in e embarque prioritário para membros com status.

A Alaska tem como parceiras a American, British, JAL, Cathay, Finnair, LATAM e Qantas, o que a torna uma companhia muito atrativa dentro da Oneworld.

A Alaska ainda tem seu programa de milhas baseado na distância voada e não nos gastos dos passageiros. Se ela entrar como membro Connect apoiada por todas as companhias acima ela pode se tornar uma boa opção de programa de milhas internacional para passageiros frequentes.

Eu já fiz um post comentando sobre o programa da Alaska – o Mileage Plan. Ele está defasado quanto às parceiras, mas acredito que as linhas básicas do programa continuam as mesmas (clique aqui para ler).