Como a maioria sabe, a situação da Avianca Brasil está muito difícil. Logo, é necessário refletir bastante sobre qual a estratégia a ser adotada: confiar que, ao fim e ao cabo, tudo dará certo (a empresa se recupera, ou é comprada por outra e os programas se fundem), ou gastar as milhas da conta para não ficar em um baita prejuízo.

Como o Amigo inflacionou muito a tabela, são poucas as oportunidades de bons resgates, mas eles ainda existem.

Vamos lá:

Tem muita disponibilidade com a Lufthansa entre Frankfurt e Hong Kong/Singapura por 85.100 pontos. Para Beijing e Shanghai, esse valor sobe um pouco – 90.100 pontos.

De qualquer outra cidade europeia, esse valor passa para 105.100 ou 125.100 pontos. Ainda que mais caro, é um bom valor para voar na executiva da Lufthansa.

Lembrando que o voo para Hong Kong é operado pelo A350, a primeira das aeronaves que terá a cabine retrofitada ao final do ano.

Pela LOT, a companhia aérea polonesa, também é possível encontrar Varsóvia – Singapura por 85.100 milhas.

Ainda pela Lufthansa, é possível ir de Frankfurt ao Cairo por 60.000 milhas em executiva. O voo de cerca de 4 horas de duração é feito em um A321 da LH ou um B737-800 da Egypt Air.

Também há boa disponibilidade para Lisboa voando TAP. O custo é de 115.000 milhas.

Pela Singapore Airlines, o trecho entre Singapura e Istambul ainda está valendo a pena, apesar de ter dobrado (mais até) de valor: 85.100 milhas.

Também há o trecho entre Singapura e Auckland, que na executiva sai por 150.000 milhas e na primeira classe, o valor é de 165.000 milhas – o que é excelente! Singapura para Sydney está a 120.000 milhas na executiva. Acho que se tentarmos outras cidades australianas também teremos bons valores.

Já entre Singapura e Tóquio, o valor é mais salgado – 145.100 milhas para voar na business da Singapore ou ANA. Mas eu acho que ainda vale a pena, especialmente nessa época de incerteza e em um voo de quase 7 horas de duração. Entre Osaka e Singapura, o valor é um pouco menor – 140.000 milhas.

Entre Tóquio e Bangkok, é possível encontrar bilhetes na casa das 135.200 – 140.000 milhas, dependendo da companhia aérea. Mas não aparece disponibilidade com a Thai …

Bom, se vocês souberem de mais dicas sobre resgates, deixem suas sugestões aqui!

OBS: À medida que for descobrindo mais rotas, eu atualizo o post.