A American Airlines está fazendo um reajuste na sua malha aérea para acomodar as novas aeronaves B737-MAX8. Uma das cidades afetadas será Brasília e a mudança, que acontecerá a partir do dia 3 de maio de 2019, é simultaneamente boa e ruim …

Vamos pelo lado bom: o B737-MAX8 é uma aeronave super-moderna e vai substituir os B757 que não são mais fabricados pela Boeing. Algumas aeronaves ainda não estavam retrofitadas e os assentos são estilo tobogã.

Agora, as más notícias: apesar de antigos, alguns B757 estavam retrofitados e ofereciam um produto que, se não era excelente, era suficiente para as 7 horas que separam Brasília de Miami.

Entretanto, apesar do B737-MAX8 ser moderníssimo, a American optou por instalar os assentos da premium economy dos seus B777-200, B777-300, B787-8 e B787-9 como sendo a executiva dessas novas aeronaves.

Ou seja, se antes você dormia deitado ou inclinado nos assentos tobogã, agora você vai sentado mesmo.

E tem mais, para tirar o peso da aeronave para economizar combustível, nenhum assento possui tela de entretenimento. Os passageiros terão acesso a filmes e séries via celular, tablet ou computador. Ou seja, se você está viajando só com o seu celular, contente-se com a tela dele durante as próximas 7 horas …

Para o pessoal da econômica, o espaço das pernas é reduzidíssimo, pois a configuração foi pensada na densificação da cabine em voos domésticos. Densificação é um nome bonito para a nossa velha e conhecida lata de sardinha.

A escolha se dá, acredito, para que a empresa possa competir com a GOL, que sequer tem cabine executiva em seus voos. Em outras palavras, a pedra filosofal das empresas hoje em dia é nivelar por baixo, mesmo.

Por fim, a American vai colocar o B77W para fazer as rotas entre EUA e Japão. O B77W voa para Hong Kong, Sydney, Buenos Aires, São Paulo e Londres. Ainda não se sabe ao certo qual desses destinos vai sofrer um downgrade para o B772, que não tem primeira classe. Acredito que Hong Kong e Sydney sejam mantidos pela distância e HKG é uma rota premium da AA. Além disso, a Qantas oferece primeira classe nos seus A380 para os EUA.

Sobram Londres, Buenos Aires e São Paulo. Eu também tiraria Londres dessa equação, pois é B77W é a única aeronave da AA que tem primeira classe e JFK-LHR é uma rota com muita concorrência.

Sobram nosotros da América do Sul. Resta saber se seremos nós ou nossos hermanos argentinos que vão perder o B77W.