Nessa semana foi anunciada a entrada da Royal Air Maroc na Oneworld, sua 14a companhia-membro, a partir de meados de 2020. A empresa marroquina adicionará 34 destinos africanos à malha aérea da aliança.

A Oneworld é a única das grandes alianças aéreas a não ter uma companhia africana em seu portfólio. A Star Alliance conta com a South African Airways e com a Ethiopian Airlines. Já o Skyteam tem a Kenya Airways.

A Royal Air Maroc serve 94 destinos, dois deles no Brasil – Rio de Janeiro e São Paulo – com 53 aeronaves, dentre elas, 5 B787.

Ambas as cidades terão um aumento na frequência semanal para Casablanca. A partir de setembro, o Rio de Janeiro contará com 4 voos semanais – atualmente tem 3 – e São Paulo terá 6 ao invés dos 5 atuais. Todos serão operados com o Dreamliner.

Para nós, a adição é interessante como um modo mais célere de se chegar ao oeste da África, onde se concentram os destinos africanos da empresa. Notem que o sul e o leste da África não são servidos pela RAM, mas podemos acessá-los via Qatar Airways ou British Airways. A Iberia, assim como a Qatar, também serve alguns destinos no Marrocos.

O mapa de rotas da Qatar na África é o seguinte:

Por sua vez, os destinos da British Airways na África são:

A entrada na Royal Air Maroc vem a suprir uma lacuna do oeste da África na Oneoworld, já que nenhuma companhia da aliança serve Angola ou Senegal, por exemplo.

Atualmente, a RAM já tem acordos de codeshare com a Iberia, Qatar e S7, a pouco conhecida (pelos brasileiros) companhia siberiana.

Resgates de Bilhetes com Milhas

Atualmente, somente o Smiles tem parceria com a RAM, e ainda assim, limitada à disponibilidade em econômica em valores altíssimos.

Entrando na Oneworld, se as tabelas da AA e da LATAM não mudarem, os valores, por trecho, serão os seguintes para voar com a RAM para a África:

LATAM econômica: 30.000 - 46.500 pontos

LATAM executiva: 70.000 - 99.500 pontos

AAdvantage econômica: 70.000 milhas

AAdvantage executiva: 97.500 milhas

Se o sistema tiver sido ajustado até 2020 para possibilitar o resgate com as parceiras da Oneworld, o LATAM Fidelidade será o programa mais vantajoso para resgates com a RAM.

Confesso que a RAM não está na minha lista de companhias aéreas e cabines que quero conhecer, mas não excluo a possibilidade de aproveitar uma eventual oportunidade com o LATAM Fidelidade, caso as condições de hoje sejam mantidas até 2020. Difícil, não?