Deu no Infomoney de hoje que a Azul e a Copa Airlines anunciaram um acordo de codeshare e parceria entre seus programas de milhas – o TudoAzul e o ConnectMiles. Abaixo, a íntegra da notícia e ao final, como sempre, deixo o link para a matéria original.

A Azul anunciou nesta quinta-feira (8), em coletiva de imprensa realizada em São Paulo, um acordo de codeshare com a Copa Airlines. Hoje, a Copa conta com a maior malha aérea da América Latina, com 80 destinos em 32 países.

Com a novidade, os clientes podem comprar um único bilhete para a viagem e despachar a bagagem para o destino final com mais facilidade, mesmo que voe com ambas as companhias.

O acordo vale também para os programas de fidelidade das aéreas: clientes que já tenham pontos acumulados no TudoAzul acumularão pontos no programa voando com a Copa – o mesmo vale para o programa da Copa, o ConnnectMiles. A partir de dezembro, clientes poderão resgatar os pontos acumulados nas duas companhias.

“Este acordo de compartilhamento de código também nos permite oferecer mais opcões de voos para importantes cidades brasileiras nas regiões Sudeste e Nordeste para as quais não víamos e que, a partir do nosso Centro de Conexões das Américas, serão mais conectados com o Panamá e o restante do cotinente americano”, disse Dennis Cary, vice-presidente sênior comercial e de planejamento da Copa.

O acordo ainda está sujeito à aprovação de autoridades regulatórias. Hoje a Azul é a aérea brasileira com o maior número de cidades atendidas, com 776 voos diários para 110 destinos. Ela também tem acordo de codeshare com a portuguesa TAP.

No ano passado, a aérea foi eleita a companhia low-cost mais pontual das Américas pelo ranking da OAG – ainda que não se posicione como low-cost, mas sim “low-fare”.

Também nesta quinta-feira, a Azul divulgou seus resultados do terceiro trimestre, em linha com o estimado por analistas do mercado. A receita líquidida registrada foi de R$ 2,44 bilhgões, ante uma projeção de R$ 2,46 bi. O lucro líquido caiu para R$ 117 milhões.

Geralmente, esses acordos entre programas não permitem que programas de milhas de companhia aéreas de alianças diferentes tenham os mesmos benefícios daquelas que pertencem à mesma aliança. A mesma sistemática pode ser aplicada analogicamente em relação ao TudoAzul, que é um programa independente.

Assim, acredito que os voos Azul não contarão para status com o ConnectMiles, já que isso também implicaria em status com a Star Alliance, aliança da qual a Azul não faz parte.

Para acessar o link da matéria original, clique aqui.