Com a desvalorização da tabela de resgates do TAP Victoria, decidi pesquisar as tabelas atuais dos quatro programas da Star Alliance mais populares no Brasil. São eles o Amigo (Avianca Brasil), Lifemiles (Avianca Internacional), MileagePlus (United Airlines) e o próprio Victoria (TAP).

Montei diversas tabelas entre regiões (principalmente com origem no Brasil), mostrando a quantidade de milhas necessárias em cada um dos programas em econômica, executiva e primeira classe. Destaquei em verde, os resgates mais vantajosos e, em vermelho, os resgates mais caros. Ao final, monto uma tabela com as regiões, as cabines e os programas, com os melhores e piores valores e fecho com uma análise sucinta dos programas.

Ressalto que os valores do Victoria são para ida e volta.

Agora, as mesmas tabelas em outra perspectiva:

Vamos comentar cada um dos programas:

1 – Amigo: Para voos saindo do Brasil, o Amigo é o programa certo para quem quer ir para o Oriente Médio/Norte da África em qualquer cabine. Nas rotas mais populares ele somente é o mais vantajoso para a Europa em primeira classe. Mas há duas outras rotas que ele domina: entre a Europa e a Ásia, e entre a Ásia e a Austrália/Nova Zelândia. Esqueçam dele para emitir passagens do Brasil para a Oceania, Sul e Norte da Ásia.

Modos de acúmulo: voando com as companhias Star Alliance, transferências de cartão de crédito, Livelo (1:1) e parceiras comerciais (lojas, hotéis etc). O Amigo não tem clube de milhas e não vende milhas diretamente. Ou seja, para acumular muitas milhas tem que comprar tudo no cartão! rsssss

Potenciais problemas: resgates com as parceiras Star Alliance somente via call center , que é complicado. O sistema muitas vezes não “enxerga” a disponibilidade nas parceiras. Em voos que não originam no Brasil, há cobrança de taxa de combustível. Mas se ajustar a área de TI, tem chances de ser um programa redondo. Não permite stopover.

OBS: Teve gente que perguntou sobre a impossibilidade de emissão para duas regiões. Pelo que eu soube, é necessário ligar para o call center com a disponibilidade em mãos. Se o atendente não conseguir tarifar, peça para que ele fale com o supervisor para resolver o problema. Pode não ser resolvido na hora, mas  eles ligam depois para dizer se conseguiram ou não.

2 – Victoria: antes uma excelente opção para acumular milhas na Star Alliance, a recente mudança de tabela foi uma derrota para o Victoria. O programa é o pior em 5 das 11 combinações em qualquer classe de voo e é superado pelo Lifemiles em outras. Um bom resgate continua sendo a executiva entre o Norte e o Sul da Ásia – voando Asiana, ANA, Thai, Air China e, com sorte, Singapore Airlines. Entretanto, ainda resta um único atrativo direto que ainda pode manter o moribundo programa vivo no Brasil: a executiva para a América do Norte (que disputa em pé de igualdade com o Lifemiles). E só.

Modos de acúmulo: voando com as companhias Star Alliance, com a Azul, transferências de cartão de crédito e Livelo (1:1). O Victoria tem um clube de milhas muito ruim.

Potenciais problemas: mudanças no programa sem aviso prévio, com tremendo prejuízo para seus milhões de clientes; resgates com as parceiras Star Alliance somente via call center; cobrança de taxa de combustível em voos que não originam no Brasil.

Vantagens: acúmulo fácil via parceiros financeiros. Nos últimos dois anos teve promo de 100% de bônus nas transferências Livelo. Permite stopover.

3 – Lifemiles: o programa da Avianca Internacional me surpreendeu quando eu vi o resultado final. Ele é o melhor em 5 das 11 combinações em todas as cabines. Ele também é o mais vantajoso, juntamente com o MileagePlus, para voar entre o Brasil e a América do Norte em econômica. O melhor é o resgate em voos domésticos na Avianca Brasil por 5.000 milhas – imbatível!

Modos de Acúmulo: voando com as companhias Star Alliance e comprando milhas.

Potenciais problemas: para brasileiros, o único modo de acumular milhas é voando com as companhias Star Alliance, comprando milhas, ou reservando / aproveitando promos de reserva de hotéis. Não há parcerias com cartões de crédito, lojas ou Livelo. Apesar de o resgate ser totalmente online, o sistema não enxerga algumas companhias da Star Alliance, como a SAS, por exemplo. Mas tem boa disponibilidade com a ANA, Thai, Asiana e EVA Air se o resgate for feito com antecedência. Não permite stopover.

Vantagens: O Lifemiles não cobra taxa de combustível. O programa faz venda de milhas com bonificação escalonada pelo menos 3 vezes ao ano. Na última Black Week foi dado bônus de 140% para qualquer valor adquirido.

4 – MileagePlus: o programa da United Airlines saiu vitorioso em algumas combinações, sendo o seu grande diferencial os resgates domésticos e na América do Sul. Na econômica para os EUA ele também é o mais vantajoso, juntamente com o Lifemiles. Entre o Brasil e a Oceania, ele domina na econômica e na executiva (lembrando que não há voo da Star Alliance em primeira para a Austrália/Nova Zelândia). Do Brasil para o norte da Ásia em executiva ele também é o programa de escolha. Outros bons resgates são na econômica e excutiva em voos diretos entre São Paulo e Johannesbourg. Em 4 das 11 regiões, ele tem resgates medianos em todas as cabines.

Modos de Acúmulo: voando com as companhias Star Alliance e transferindo pontos via Livelo (2:1). E voando com a Azul também!

Potenciais problemas: A dificuldade de acúmulo – via Livelo há um enorme deságio, que pode ser minorado com possíveis promoções (a conferir). Não permite stopover.

OBS. O Henrique chamou atenção que o MP não permite a transferência de pontos Livelo comprados. Minha dúvida é: como é que o MP vai distinguir pontos comprados ou não?

Vantagens: O MileagePlus não cobra taxa de combustível e os resgates são feitos online (o site é um dos modos mais populares de pesquisa de disponibilidade na Star Alliance.

Para acessar a tabela de resgate das parceiras Star Alliance, clique abaixo:

Lifemiles
Amigo
Tap Victoria
MileagePlus

Espero que esse post ajude vocês a decidirem onde vão acumular milhas/pontos para aquela viagem dos sonhos!