A Delta, considerada por muitos a melhor companhia aérea americana, está testando um novo serviço de bordo, incluindo comidas e bebidas para passageiros da classe econômica em voos de longa distância. A empresa está indo contra a tendência dos últimos tempos de focar uma experiência melhor de voo exclusivamente nas cabines premium – o filet mignon das companhias aéreas.

Como exemplo, temos a United focada na sua nova classe executiva Polaris que, muito lentamente (demais, até), está sendo introduzida em suas aeronaves e a American, que oferece produtos Casper para dormir e muda mensalmente os amenity kits da Cole Haan.

Agora a Delta decidiu dar uma olhada no pessoal que voa no fundo do avião.

Inicialmente, o serviço de bistrô está sendo testado na rota Portland – Tóquio e, dependendo da aceitação, pode ser estendido para as demais rotas internacionais da empresa.

Ele consiste no seguinte: inicialmente, um “Welcome Bubbles”, um serviço de cocktail com bellinis e três marcas de água mineral gasosa, junto com outros cocktails disponíveis no carrinho.

O serviço de jantar consiste em uma refeição com três pratos e menu impresso. Como exemplo de entrada, há salada com quinoa, uvas e pinhões torrados. Para o prato principal, massa com couve-flor e nozes em molho cremoso. Na sobremesa, sorvete Haagen-Dazs.

Os pratos serão servidos em pratos brancos e talheres de plástico com design especial. Os guardanapos  também serão maiores. Além disso, a Delta decidiu que cada prato será servido separadamente ao invés do bandejão utilizado atualmente.

Ainda não há previsão de quando e se essa experiência vai ser implementada em todas as rotas internacionais de longa distância da Delta. Tudo vai depender do feedback que os passageiros vão dar. Oremos!

Eu adorei a notícia e dou os parabéns para a Delta de estar pensando em melhorar a vida dos passageiros da econômica, já que agora as pessoas viajam em assentos super estreitos e extremamente desconfortáveis.

A Delta tirou de um lado mas, pelo menos, está tentando compensar …

O que vocês acham? A Delta está indo no caminho certo?