O governo dos EUA, por meio de sua agência reguladora, o FAA, decidiu banir alguns MacBooks Pro de 15 polegadas de serem transportados nas companhias aéreas americanas. A proibição serve para bagagem despachada assim como bagagem de mão.

O problema é esse “alguns”. Há pouco, a Apple fez um recall de MacBooks Pro de 15 polegadas com retina display vendidos de – pasmem – setembro de 2015 a fevereiro de 2017.

A Apple reconheceu que há um problema de superaquecimento nas baterias que levam a risco de fogo. O problema é sério e a Apple recomendou que os clientes afetados não liguem o computador até que a bateria seja trocada.

A questão central aqui é como um funcionário do TSA irá reconhecer o modelo e ano de fabricação, e também o impacto que isso pode ter nas já intermináveis filas de segurança de alguns aeroportos americanos. Além do mais, há muitos passageiros com TSA Pre que não precisam tirar seus computadores da mala de mão.

Um outro ponto de tensão é que quando uma entidade governamental toma uma decisão dessa magnitude, a tendência é que outras façam o mesmo. A European Union Safety Agency, a contraparte europeia da FAA, já enviou comunicado alertando para o problema e determinando que os computadores permaneçam desligados durante todo o voo.

A Air Italy, a TUI e a Thomas Cook também já emitiram nota banindo o modelo de seus voos.

Para acessar o site da Apple para mais informações sobre esse problema, clique aqui.