Agora é a vez de o leitor Bruno Dantas nos presentear com um guest post  muito bacana sobre o Iberia Plus. Fazendo algumas contas, ele consegue atingir o status Sapphire com a melhor relação custo-benefício entre os programas mais populares da Oneworld para brasileiros – LATAM Fidelidade e AAdvantage. Vamos ao post!

Diante desta inexplicável onda de depreciação dos programas de fidelidade –  em alguns casos com viés de estelionato –  nós, meros passageiros, ficamos sem um norte de avaliação do que pode ser melhor nesse mercado, afinal a milha funciona como um cashback e tem valor financeiro pela possibilidade de venda.

Inicialmente, encontrei no Loungebuddy um comparativo da OW, segue abaixo:

Note que para se alcançar o Platium (Sapphire) no Iberia Plus  são necessários 2.250 pontos e sem a obrigatoriedade de voar IB, o que facilita um pouco.

OBS. O Assolini corretamente apontou que é necessário pelo menos um voo com a Iberia. Mas pesquisando no Flyertalk, esse voo pode ter código IB/I2/YW/VY/BA. Há um relato de um passageiro que conseguiu status Oro sem voar nenhum segmento com esses códigos.

Para acessar a página do programa, clique aqui.

Uma coisa eu percebi a bastante tempo: as empresas estão investindo no produto premium economy (mais fortemente na OW).  Ao comprar um bilhete na PE você terá uma qualificação quase de executiva no programa da Iberia. Em contrapartida,  na econômica a qualificação é praticamente nula.

Para confirmar esses fatos, vejamos a tabela de acúmulo do Iberia Plus para voos da American Airlines:

Fica evidente a proximidade da qualificação entre a premium economy e a executiva. Para trechos de 3001 – 6000 milhas, a diferença da PE para a business é de apenas 75 pontos. Já da econômica para a executiva são 410 pontos.

Ou seja, para um mileage run no Iberia Plus, e em sua homenagem, trago o exemplo do trecho GIG-MIA-MAD-JFK-GIG que na classe premium encontrei por R$4.291,00:

Nesse exemplo, cada trecho tem mais de 3.000 milhas voadas, então ida e volta teríamos 1700 pontos (4 x 425). Com apenas uma viagem e lógico, um tanto de paciência, a meta de 2250 pontos estaria 75% cumprida. Além disso, teríamos  16.964 Avios acumulados. Quem já for Platium ganha 50% a mais e acumula 25.446. Como eu avalio a milha do Iberia Plus em R$ 40,00, ai teríamos um “cashback” R$1.018,00, e a passagem teria um custo projetado de R$3273,00. 

Usei o exemplo acima para ilustrar que em uma unica viagem seria possível cumprir 3 quartos da qualificação necessária para OW Sapphire. Porém, no caso de maior disponibilidade de tempo, seria possível fazer duas ida e volta para Miami, com preço de R$2551,00, acumulando 20 pontos do trecho interno e 425 pontos de internacional. Como o R/T total seria de 890 pontos, duas viagens nessas condições garantiriam 1780 pontos.

Conclusão

Investindo no IB Plus nos voos GIG-MIA-MAD-JFK-GIG  +  REC-GRU-MIA-GRU-REC, ao custo de R$4291,00 + R$2.551 = R$6.842,00, seria possível acumular 2.590 pontos de qualificação, atingindo o objetivo com uma sobra de 340 pontos.

Convertendo os valores anteriores em dolar (6842 / 3,75 = 1824 dolares) e acumulo de Avios de 26.430 avios (que avaliado em R$40,00/k = R$1057,00 de cashback), o que projeta custo final das emissões em R$5.784,00 aproximadamente.

Sem dúvida esta deverá ser minha estratégia para 2019, já que este ano não qualifiquei EXP e ainda tenho 4 SWU válidos até janeiro de 2019.

_______________________________________________________________________________________
Um detalhe importante é que o período de qualificação no Iberia Plus é de 1o de abril a 31 de março.

Gostaria de agradecer imensamente ao Bruno pela valiosa contribuição à comunidade do Milhas e Destinos. Eu mesma estou pensando em aproveitar as dicas para qualificar – pelo menos no OW Sapphire em 2019, válido até o fim de 2020.