Prezados leitores, recebi um presente hoje: o Carlos me mandou um arquivo com um tutorial completíssimo para quem deseja ter cartão de crédito nos EUA.

Além da introdução, o tutorial será dividido em 7 posts que serão publicados ao longo da semana. Hoje, além da introdução, eu vou publicar as partes 1 e 2, que dão uma orientação geral e falam sobre a obtenção de endereço americano.

Amanhã, publicarei os posts 3 e 4, que fala sobre a exigência de telefone americano, a abertura de conta corrente e sobre os cartões de crédito caucionados.

Espero que vocês curtam tanto quanto eu esse presente que o Carlos nos ofertou!

O Carlos explica o seguinte:

Há dois anos, o Eloy do Mestre das Milhas publicou uma postagem sobre como conseguir um cartão de crédito americano. Na época, não dei muito valor pois o cenário das milhas no Brasil era bem diferente:

.Os cartões Amex pontuavam no Membership Rewards, que tinham uma série de bons parceiros de transferência internacionais, como Singapore, British, Emirates e Air France, todos transferindo 1:1. 

.O cartão topo da empresa, TPC, pontuava 2,2 em todas as compras e ainda oferecia ótimos bônus de transferência, de até mais de 100%, para as companhias luso-brasileiras. Estas possuíam custo de emissões de passagem em executiva e primeira classe bastante competitivos e, levando em conta os bônus de transferência, eram imbatíveis frente a qualquer outra empresa internacional. Avianca Amigo, Tap Victoria e Tam Multiplus eram as opções mais econômicas para qualquer tipo de emissão a qualquer parte do mundo.

A única vantagem que eu via em um cartão americano era a economia em gastos no exterior. Usando-se o cartão de crédito nacional lá fora, havia (há) a incidência de 6,38% de imposto mais uns 4% do spread da cotação do dólar oficial para o dólar do cartão.

A economia em torno de 10%, somente em despesas internacionais, não justificava, para mim, o trabalho e custo de obter um cartão americano, pois também perderia a pontuação no TPC, que valia para mim em torno de 5% do valor despendido.

Os melhores cartões de crédito americanos também oferecem uma série de benefícios bastante interessantes, como altos bônus na obtenção de cartões com gastos iniciais não muito elevados e status em redes de hotéis. Mas eu acreditava que a obtenção destes cartões seria muito demorada ou mesmo impossível.

Avançando dois anos, todos sabem que o cenário atual é completamente diferente:

. A Singapore deixou de voar para o Brasil e voos na sua primeira classe para Barcelona, a 58k, ou Austrália ou Ásia, a 120k, ficaram como ótimas lembranças de um tempo que, talvez, não volte mais.

. O Bradesco teve a excelente iniciativa de eliminar o Membership Rewards dos cartões Amex brasileiros, transferindo a pontuação dos cartões para o Livelo. Agora há deságio nas transferências para as companhias estrangeiras.

. Todos os programas luso-brasileiros pioraram ou eliminaram suas tabelas de resgate e se caracterizam por efetuar mudanças significativas sem ou com curto aviso prévio, sejam nas tabelas, clubes ou parceiros disponíveis.

Com todo este conjunto da obra, os cartões de crédito americanos entraram no meu radar e, após vasta pesquisa em diversos sítios, me preparei para, aproveitando uma viagem aos EUA em janeiro deste ano, iniciar o processo de obtenção dos cartões.

Apesar de alguns percalços no caminho, a situação se mostrou muito mais simples do que esperava e em apenas três meses eu consegui um cartão de crédito excelente, que estava na minha lista de desejos e que imaginava que seria bastante complicado de conseguir.

Vou descrever o meu passo a passo e incluir as informações colhidas em pesquisas.

Esse passo a passo estará nos seguintes posts – clique nos links para acessar:

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Introdução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 1 > contém orientação básica sobre documentação e requisitos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 2 > trata da exigência de endereço nos EUA[

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 3 > trata da exigência de telefone nos EUA

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 4 > trata da conta corrente 

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 5 > trata dos cartões com caução, o FICO score e estratégias para obter o cartão sem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 6 > fala sobre como aplicar para cartões que não exigem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 7 > dá um panorama das opções de cartões americanos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 8 > fala exclusivamente sobre o AMEX

Eu quero agradecer demais ao Carlos por mais essa preciosa contribuição para a comunidade Milhas & Destinos.