Na primeira parte do tutorial do Carlos sobre cartão de crédito e conta corrente nos EUA, ele vai dar uma orientação básica sobre documentos válidos e alguns requisitos.

É possível aplicar online para qualquer cartão de crédito americano. Entretanto, todos os formulários exigirão o seu SSN. É claro que nenhum turista disporá desse número. Em termos de uso, o Social Security Number, ou Social, como os atendentes se referem, assemelha-se ao nosso CPF, concentrando todas as informações relativas à sua vida financeira.

Mas o SSN é fornecido apenas para cidadãos americanos, residentes permanentes e trabalhadores temporários e, em termos de função, se assemelharia mais ao número da carteira de trabalho.

Em termos de função semelhante ao CPF, existe o ITIN, Individual Taxpayer Identification Number. Este número pode substituir o SSN nas aplicações e sua obtenção pode ser feita utilizando um escritório contábil online. Mas tem de haver uma justificativa válida para o número ser concedido. Poucos terão esta justificativa, mas quem pretende fazer investimentos nos EUA poderá, eventualmente, precisar deste número.

Quem aproveitou o período universitário e trabalhou temporariamente na Disney, estação de esqui ou outras atividades teve seu SSN criado e terá bastante facilidade no processo de obtenção do cartão.

A imensa maioria começará o processo do zero e terá de construir um histórico de relacionamento financeiro nos EUA para que, eventualmente, as empresas aceitem o risco de te fornecer crédito.

De qualquer forma, todos precisarão, ao longo do processo, de três coisas americanas: endereço, número de telefone e conta corrente.

Para quem quiser apenas economizar no pagamento dos 10% adicionais do uso de cartão de crédito, a simples abertura da conta corrente pode servir, pois junto com a conta é fornecido um cartão de débito. Este cartão pode ser usado online ou fisicamente na maioria das transações financeiras nos EUA. 

Alguns bancos aceitam a abertura de conta até com seu endereço brasileiro. Mas a maioria dos cartões de débito cobrará uma taxa adicional de 3% se usado fora dos EUA, com exceções. 

Na grande maioria dos casos, a abertura de conta só é possível com a presença do titular na agência bancária americana. Quem tem o SSN consegue abrir conta online em alguns estabelecimentos.

Esta é a primeira parte de um tutorial sobre cartões de crédito e conta corrente nos EUA. Para ler os demais posts, clique aqui.

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Introdução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 1 > contém orientação básica sobre documentação e requisitos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 2 > trata da exigência de endereço nos EUA[

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 3 > trata da exigência de telefone nos EUA

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 4 > trata da conta corrente 

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 5 > trata dos cartões com caução, o FICO score e estratégias para obter o cartão sem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 6 > fala sobre como aplicar para cartões que não exigem caução

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 7 > dá um panorama das opções de cartões americanos

[Guest Tutorial]: Cartão de crédito e conta corrente nos EUA – Parte 8 > fala exclusivamente sobre o AMEX

Eu quero agradecer demais ao Carlos por mais essa preciosa contribuição para a comunidade Milhas & Destinos.