Chegamos à última avaliação do ano, que foi o voo final da minha mileage run para conseguir o Executive Platinum com o AAdvantage. O trecho foi Santiago – São Paulo no B767.

Como já fiz inúmeras avaliações sobre o B767, vou pular essa etapa e falar apenas do almoço que foi servido a bordo desse voo que tem cerca de 3 horas de duração.

LA business class SCL-GRU B767 dez 2018

Como eu tinha tido um experiência infeliz com os raviólis na ida para Bogotá, segui o conselho do meu BFF Alexandre que tinha tido o mesmo cardápio na ida de GRU para SCL e escolhi a costela de ripa, acompanhada de vinho tinto.

Inicialmente, havia pedido bisnaguinhas, mas a massa estava levemente crua. Então, chamei o comissário e pedi esses biscoitos longos para não ter erro.

LA business class SCL-GRU B767 dez 2018

À parte o pão cru, o almoço estava muito bom para o atual padrão da LATAM. A salada veio com folhas, tomate, palmito e abacate e estava bem ao meu gosto – eu adoro abacate!

LA business class SCL-GRU B767 dez 2018

A costela estava macia – não era uma comida de restaurante, mas, repito, para os padrões LATAM ela estava boa. Só o purê de abóbora que deixou a desejar.

LA business class SCL-GRU B767 dez 2018

A sobremesa estava muito doce pro meu gosto e cheesecake de banana não é das melhores ideias, mas a combinação de doce de leite com molho de maracujá estava boa.

LA business class SCL-GRU B767 dez 2018

COMENTÁRIO FINAL

Essa foi a melhor refeição dos 3 voos que fiz com a LATAM nesse mileage run. Mas é evidente que não está sendo dada a devida atenção à experiência do passageiro.

Aliás, na volta de Kiev – Frankfurt – Bogotá – Santiago, a perna final foi Santiago – Rio de Janeiro em um A321. Vou narrar a experiência rapidamente só para vocês terem uma noção.

Não há cabine premium – toda a aeronave é econômica. Tampouco há cadeiras com espaço +.

Não há telas de IFE e o entretenimento de bordo é disponibilizado via dispositivo móvel. Entretanto, não há uma tomada elétrica ou porta de USB para recarregar celulares, laptops ou iPads …

O SCL – GIG parte um pouco depois do SCL – GRU, no horário do almoço. O serviço de bordo começou cerca de 1h20 depois da decolagem. Nem água foi servida nesse meio tempo.

Não há comida quente e nem Mercado LATAM. Foi servido um sanduíche frio de peito de peru com tomate. Para beber refrigerantes, sucos, água e café. Um passageiro pediu uma cerveja – não havia qualquer bebida alcóolica disponível nem à venda.

Os copos e restos de comida só foram retirados dos assentos pouco antes do comandante avisar o início do procedimento de descida para o aeroporto. Esse voo tem cerca de 3h45 mins de duração. Façam as contas de quanto tempo esperamos o lixo ser recolhido …

Resumindo: foi um péssimo voo. Daí a minha escolha por voltar no B767 para São Paulo e, de lá, pegar um voo da GOL para o Santos Dumont.