A LATAM vai implementar alguns ajustes nas suas rotas para a Austrália.

A primeira delas é a rota para Sydney. Atualmente, a frequência é diária, com uma escala em Auckland, na Nova Zelândia. A partir de novembro de 2019, 3 das 7 frequências serão diretas entre Santiago e Sydney – o que é bom para quem vai para a Austrália, mas diminui a capacidade para Auckland.

Essa mudança faz com que, diariamente, em qualquer época do ano, os passageiros possam ir de Santiago a Sydney e vice-versa sem escalas, uma vez que a Qantas também opera a rota.

Entretanto, a capacidade para a Austrália estará comprometida, porque a LATAM vai reduzir a frequência e alterar a aeronave entre Santiago e Melbourne. A partir de agosto desse ano, a companhia passará a operar apenas 3 voos semanais, ao invés dos 5 atuais. Além disso, a aeronave será o B787-8, com 247 assentos, ao invés do B787-9, que atualmente voa entre as duas cidades e que conta com 313 assentos. Essas alterações reduzem em 53% a capacidade da rota.

A Qantas atualmente usa o B747-400 entre Sydney e Santiago, mas pretende aposentar os jumbos até 2020. A aeronave comporta 58 assentos em business, 36 em premium economy e 270 em econômica. O seu substituto será o B787-9, com 42 assentos em business, 28 em premium economy e 166 assentos na classe econômica.

Analisando o quadro geral, a capacidade para a Austrália vai diminuir bastante – já que a alteração positiva implica na supressão da escala e não um voo adicional.

Melbourne será afetada de imediato, a partir de agosto, e Sydney sofrerá impacto a partir do ano que vem. A situação pode ser amenizada caso a Qantas decida oferecer mais frequências para compensar a perda de capacidade com a substituição do B747 pelo B787.

Isso também significa menos assentos disponíveis para bilhetes resgatados com milhas …