Agora à tarde, recebi um email do AAdvantage informando os novos requisitos para qualificação de status no programa.

Os maiores afetados são os clientes que querem ser Executive Platinum: até agora eram necessários 12.000 EQDs  – dólares gastos – e 100.000 EQMs – milhas voadas – para garantir o maior status no programa, o Executive Platinum.

A partir de 2019, o AAdvantage acompanha o MileagePlus e o Delta Medallion, exigindo 15.000 EQDs para a qualificação para a categoria mais alta nos respectivos programas.

Em contrapartida, houve um aumento de milhas adquiridas em voos das parceiras com quem a American Airlines têm joint ventures, exceto a LATAM (já houve uma reformulação da tabela depois que os voos LATAM têm o código LA).

Abaixo, as novas tabelas em vigor para:

British Airways

Finnair

Iberia

JAL

LATAM

Quem voa em econômica na tarifa cheia Y na American – caríssima – vai ter uma redução de EQMs. Até o final de 2018, o AAdvantage dá 1.5 EQM/USD e a partir de 2019 será apenas 1.0 EQM/USD gasto.

Para mim, fica absolutamente inviável manter o status no AAdvantage. Vou qualificar para Executive Platinum esse ano e imagino que será o último. O AAdvantage é o único programa das legacy carriers americanas que exige EQDs de quem não reside nos EUA.

Para acessar informações sobre o AAdvantage, clique aqui.