Muita gente aproveitou a última promo da Iberia e amealhou 90.000 avios por cerca de R$ 1.000,00.  Como expliquei ontem (clique aqui para ler o post), é possível transferir os avios entre contas do Iberia Plus (IP) e do British Airways Executive Club, o BAEC. Mas a pergunta é: em qual programa é melhor gastar os avios da promo?

Algumas ponderações específicas sobre a promo:

(a) O pessoal da Iberia avisou, via redes sociais, que os clientes que transferissem pontos da promo do IP para o BAEC ficariam com a conta “negativada”. Até agora não foi explicado o que isso quer dizer;

(b) Até recentemente, a funcionalidade de transferência de avios entre contas estava bloqueada. Entretanto, ela já foi reativada de novo;

(c) Os avios da promo tem data de validade: 1o de dezembro desse ano. Entretanto, também é difícil saber como as empresas procederão caso eles tenham sido transferidos para a conta BAEC e não utilizados;

(d) OBS: Agora, às 18:45 do dia 26/07/2018 a Iberia acabou de me tweetar afirmando categoricamente que a utilização dos avios fora do IP vai negativar a conta. Pedi esclarecimentos (cancelar a conta? tirar os avios restantes?) e eles não me responderam. Amanhã tem mais post …

Iberia: 

O grande resgate é ida e volta em executiva pela Iberia entre Brasil e Madri na baixa temporada. Cada trecho custa 42.500 avios (85.000 no total). Na alta temporada, cada trecho custa 62.500 avios e é possível combinar uma ida/volta em baixa e o outro trecho em alta, ou vice-versa. O total sairia por 105.000 avios, o que – pelo preço pago pelos 90k – ainda sairia uma pechincha complementar com mais 15.000 avios de uma dessas promos da Groupon ou pagando mais caro no próprio site da Iberia.

Em econômica, é possível achar trechos Brasil – Madri por 19.000 avios. Com os 90.000 é possível para um casal voar até Madri e ainda sobram alguns avios na conta, que podem ser utilizados para outros voos intra-europeus.

Para mais detalhes sobre como aproveitar os avios no Iberia Plus, clique aqui.

Eu voei na business da Iberia há pouco tempo e tenho o trip report aqui no blog (clique aqui para ler).

Eu não recomendo a emissão de bilhetes com as parceiras Oneworld via IP por conta das observações abaixo. Mas é claro que cada um sabe de si …

Observações importantes sobre o Iberia Plus:

(a) a emissão com as parceiras só pode ser feita com ida e volta;

(b) caso você mude de ideia e queira alterar ou cancelar o seu bilhete, isso só é possível com voos da Iberia, Air Nostrum e Vueling. Se houver, em um mesmo bilhete, dois trechos – um com a Iberia e outro com a Cathay, por exemplo – o cancelamento/alteração do bilhete implica na perda total dos avios;

(c) as alterações custam 25 euros por trecho, exceto aqueles emitidos na classe Turista, que são gratuitas;

(d) O IP cobra taxa de combustível (YQ) para voos originados fora do Brasil, exceto para voos da JAL, que não têm YQ por determinação do governo japonês;

(e) a Iberia demora muito para reembolsar as taxas aeroportuárias.

British Airways Executive Club:

Os melhores resgates em econômica são pela AA nos EUA e pela Qantas na Austrália.  Em um voo de 2.000 milhas (quase costa a costa) é possível resgatar passagens por 10.000 Avios (Melbourne-Perth, Chicago – Los Angeles, New York – Denver). A maior parte da Europa também está coberta por essa distância de 2.000 milhas. Um voo Sydney – Brisbane sai por 4.500 Avios em econômica …

Não há dúvidas que os melhores resgates  na executiva se referem aos voos intra-Ásia voando JAL ou Cathay, exceto Singapura/Kuala Lumpur- Tóquio, que ultrapassam as 3.000 milhas. Poder voar de Tóquio para Bangkok na executiva da JAL por 37.500 Avios é um bom negócio.

Outro bom negócio é ir de Hong Kong para a Índia, Sri Lanka, Maldivas e Nepal pela Cathay, também em executiva por 37.500 Avios.

Se o trajeto for ainda mais curto, é possível ir de Seoul para Hong Kong por 20.000 Avios em executiva, em uma viagem de cerca de 3h15mins.

Observações importantes sobre o BAEC:

(a) É possível o cancelamento do bilhete até 24 horas antes da partida do voo pagando multa de 40 libras;

(b) É necessário ligar para o call center para emitir bilhetes com origem no Brasil;

(c) As emissões com ponto de origem fora do Brasil podem ser feitas online mediante uma taxa administrativa de USD 40 embutida no preço final;

(d) O BAEC cobra taxa de combustível (YQ) para voos originados fora do Brasil, exceto para voos da JAL, que não têm YQ por determinação do governo japonês;

(e) É possível emitir passagens one-way.

Conclusão:

Eu fiz a transferência para a conta BAEC e emiti bilhete online para voar com parceiras sem qualquer problema. O essencial é ter em mente que é possível usar os avios do IP até 1o de dezembro nos termos da promo.

Entretanto, ainda não se sabe o que vai acontecer com aqueles que fizerem a transferência para emissão via BAEC (meu caso) ou para quem não fizer emissão alguma até a data limite.

Alguém já emitiu algum bilhete? Alguma dica para compartilhar?