Agora há pouco, escrevi um post sobre a utilização dos Avios da última campanha promocional do Iberia Plus. Entretanto, após a publicação do post, fui dar uma olhada no Flyertalk e tem tanta informação desencontrada que achei por bem escrever outro post sobre isso.

Para ler o post anterior, clique aqui.

Em primeiro lugar, eu vou colocar aqui os Termos e Condições originais da promoção:

Em nenhum momento é dito que esses Avios não podem ser transferidos para a conta do BAEC. Entretanto, o porta-voz da Iberia soltou a seguinte nota afirmando que os Avios só poderiam ser usados via Iberia Plus e que a transferência acarretará a negativação da conta:

Pergunto para vocês: o que seria negativar a conta? Eu tenho zero Avios no IP. Na promo acumulo 90.000. Transfiro para o BAEC e fico com zero. Como assim negativada?

A justificativa dele é que os Avios não seriam usados até o dia 1o de dezembro.

Outra pergunta para vocês: de onde ele tirou que os clientes não emitiriam os bilhetes até o dia 1o de dezembro?

As contas BAEC e IP se comunicam – tanto que a transferência é imediata. Não seria difícil controlar o uso desses 90.000 Avios.  Além disso, parece que as contas Avios serão unificadas (seria 1o de dezembro o deadline antes da fusão das contas?)

Além disso, a Iberia soltou o seguinte tweet:

Ôpa! Ôpa! Ôpa! Os Avios só podem ser utilizados em voos das companhias do Grupo Iberia (Iberia, Iberia Express, Air Nostrum, Level e Vueling).

Alguém me mostra nos termos e condições da promoção onde isso está dito.

A Iberia, de novo por meio de um novo tweet – que parece ser o canal oficial de comunicados de empresas – que é possível resgatar passagens com as parceiras, mas mantendo a restrição de não transferir para o BAEC.

Eu acho ambas as restrições muito questionáveis juridicamente. Há, pelo menos, três argumentos que superficialmente me vem à cabeça.

(a) O Código de Defesa do Consumidor é cristalino nesse caso: a oferta vincula o fornecedor.

(b) Em segundo lugar, todas as cláusulas contratuais devem ser interpretadas em favor do consumidor. Os termos e condições determinam que a aquisição dos avios se dá mediante compra de bilhetes do grupo Iberia, mas é silente quanto à sua utilização. Logo, entende-se que esta é livre.

(c) A boa-fé objetiva, que determina a transparência e lealdade nas relações jurídicas, impede que a Iberia lance mão de restrições que jamais foram aventadas antes da compra dos bilhetes. Não pode a empresa, após o término da promoção – após os consumidores terem gasto dinheiro com ela – inserir restrições inexistentes à época da contratação.

Em nenhum momento a Iberia falou em limitação ao uso dos avios, exceto a sua efetiva utilização até o dia 1o de dezembro.

 

Mais um problema que está sendo bastante comentado é que as compras dos bilhetes não aparecem no cartão de crédito e as reservas estão pendentes. Sugiro que todos que tenham aproveitado a promo verifiquem se tudo está certo para evitar aborrecimentos semana que vem.

É mais um caso de promos que são feitas aparentemente sem pensar. A única coisa que me vem à cabeça é aumentar a receita do 2T – afinal muita gente comprou bilhetes para a família inteira – e o suposto aumento da taxa de ocupação das aeronaves. Suposto por que creio que a maioria das pessoas não vai voar, já que isso também não era requisito para o acúmulo de avios.

De qualquer modo, deixo aqui registrado o uso dos avios do Iberia Plus nas parceiras Oneworld e retomo as melhores emissões via BAEC apesar de aconselhar que ninguém transfira nada por enquanto. Vamos aguardar o desenrolar dessa novela.

Agora vamos para a tabela das parceiras Oneworld e as fora da Oneworld (Royal Air Maroc e TACA/Avianca Internacional). Notem dois detalhes relevantes: (a) a British Airways não está incluída porque tem tabela própria, (b) a tabela é homogênea (não há alta/baixa estação).

Um detalhe: para as parceiras Oneworld só é possível emitir ida e volta, ok? Está nos Termos e Condições do programa.

Condições de emissão com as parceiras (clique aqui para ler os Termos e Condições do Iberia Plus):

Nas viagens a realizar com utilização de Avios, quando estiverem incluídas Companhias pertencentes à Aliança oneworld (Iberia e mais Companhias oneworld, ou, duas ou mais Companhias oneworld diferentes da Iberia) a única condição requerida é que o ponto de partida e de destino final sejam o mesmo (poder-se-ão incluir até 8 cupões de voo). Se, para aceder ao destino final, forem necessários vários pontos intermédios, é permitido que os ditos pontos não sejam os mesmos.

Os bilhetes que contenham um trajeto em alguma das Companhias oneworld e/ou acordos bilaterais não admitem alterações nem reembolsos. Caso se trate de trajetos de Iberia, Iberia Express o Iberia Regional/Air Nostrum, em princípio, admitir-se-á a alteração de rota sempre que não se tenha voado nenhum cupão (um trajeto do bilhete). Essa alteração será realizada através da anulação do bilhete e emissão de um novo. Não obstante o anterior, o Programa reserva-se o direito de incluir classes especiais de bilhetes com utilização de Avios, em que não se permitirá alterações de trajetos, anulações ou outras condições que se especificarão na tabela. As condições inerentes a cada bilhete com débito de Avios serão mantidas atualizadas em iberia.com.

A tabela é a seguinte:

A sistemática de uma ida e volta é a soma total das milhas dos trechos. Assim, uma ida e volta entre São Paulo e Miami em executiva são 8.100 milhas, o que dá 150.000 Avios.

Dentro dos USA, uma coast-to-coast tipo NYC – LAX tem cerca 2.350 milhas, sendo a ida e volta 4.700 milhas. Uma econômica ida e volta com a AA sai por 28.000 Avios, e uma business, incríveis 64.000 Avios.

Há boas possibilidades de emissão na transferência dos Avios para a conta do BAEC. Nas regras da promoção não consta nenhum impedimento na transferência para o BAEC.

Eu já havia escrito um post com as melhores emissões do BAEC (clique aqui para ler), mas vou deixar aqui alguns exemplos.

Os melhores resgates em econômica são pela AA nos EUA e pela Qantas na Austrália.  Em um voo de 2.000 milhas (quase costa a costa) é possível resgatar passagens por 10.000 Avios (Melbourne-Perth, Chicago – Los Angeles, New York – Denver). A maior parte da Europa também está coberta por essa distância de 2.000 milhas. Um voo Sydney – Brisbane sai por 4.500 Avios em econômica …

Não há dúvidas que os melhores resgates  na executiva se referem aos voos intra-Ásia voando JAL ou Cathay, exceto Singapura/Kuala Lumpur- Tóquio, que ultrapassam as 3.000 milhas. Poder voar de Tóquio para Bangkok na executiva da JAL por 37.500 Avios é um bom negócio.

Outro bom negócio é ir de Hong Kong para a Índia, Sri Lanka, Maldivas e Nepal pela Cathay, também em executiva por 37.500 Avios.

Se o trajeto for ainda mais curto, é possível ir de Seoul para Hong Kong pela Cathay Pacific por 20.000 Avios em executiva, em uma viagem de cerca de 3h15mins.