Esse é o primeiro post colaborativo do Milhas e Destinos. Ele foi escrito por mim e pelo Cadu do melhor blog de trip reports do Brasil, o Voando e Avaliando (www.voandoeavaliando.com.br). O Cadu é avgeek no nível máximo, porque além de tudo aquilo que todos nós gostamos na aviação comercial, ele é plane spotter. Ou seja, se botar uma máquina fotográfica na mão dele, ele vai pro aeroporto tirar fotos lindas de aeronaves, como vocês verão a seguir.

Mas então, outro dia, estava no aeroporto vendo as aeronaves no pátio e me peguei pensando em qual delas eu mais gostaria de estar voando naquele momento. Dali foi um pulo para eu tentar eleger a minha aeronave favorita de todos os tempos. Pedi pro Cadu me ajudar enviando fotos das aeronaves de longa distância da Boeing e da Airbus para a gente compor esse post. Então, todas as fotos do post são de autoria do Cadu e cada um de nós vai fazer um comentário pessoal sobre essas lindas máquinas que tanto amamos.

BOEING

B747

O B747 é uma aeronave referida com frequência como Jumbo Jet ou Queen of the Skies . A sua corcunda na parte superior frontal da fuselagem faz com que seja uma das aeronaves mais reconhecíveis do mundo. A versão original do 747 tinha duas vezes e meia mais capacidade de passageiros que o Boeing 707, um dos grandes aviões comerciais dos anos 60. Efetuando o seu primeiro voo comercial em 1970, o B747 ostentou o recorde de capacidade de passageiros durante 37 anos.

Comentário Beatriz. Tenho verdadeira paixão pelo B747! Me lembro da sua incorporação na frota da Varig em fevereiro de 1980 na rota GIG-JFK e eu voei nela  pela primeira vez em março do mesmo ano. A sua mais nova variação, o B747-8i é, hoje em dia a minha aeronave favorita por dois motivos relacionados ao design: as asas – semelhante ao B787, e os chevrons (as arestas serradas da nacelle – a proteção do motor) cuja função é reduzir o ruído da aeronave.

Comentário Cadu. Fui para o Havaí em 2001 a bordo da “Rainha”, nas cores da United, lembro de tudo deste voo, é uma máquina incrível; e mais recentemente, tive minhas 02 únicas experiências em 1ª Classe a bordo de um 747 (Thai Airways), que fica na parte frontal e inferior; em um dos voos, eu era o único passageiro, portanto, tive o nariz inteiro do avião exclusivo para mim

B767

Foi o primeiro avião bimotor widebody (corredor duplo) e equipado com glass cockpit (painéis totalmente digitais) da Boeing.

O avião entrou em serviço comercial com a United Airlines em 1982, onde foi utilizado inicialmente para rotas nacionais e internacionais. Em 1985, tornou-se o primeiro avião bimotor a receber certificação ETOPS para voos intercontinentais sem escalas.

Até junho de 2017, a Boeing recebeu 1 204 pedidos através de 74 companhias, com 1 101 aviões entregues  Até julho de 2016, 742 aviões estavam em operação. A Delta Air Lines é a companhia com mais aviões em serviço, com 91 aeronaves.

Progressivamente, as companhias aéreas estão aposentando seus B767 – ontem mesmo, a British aposentou sua última aeronave desse modelo e a American também está progressivamente fazendo a sua substituição pelos B787.

Comentário Beatriz. Já voei muito de B767 e hoje o considero muito antiquado para o meu gosto. Não é uma aeronave que me conquistou …

Comentário Cadu. Eu tenho um carinho especial pelo 767; foi ela quem me levou para a Europa pela 1ª vez, um voo da Pluna, que vinha de Montevidéu, fazia uma parada no Rio e seguia para Madrid; neste voo, também visitei a cabine de comando pela 1ª vez; e tenho voado muito neste modelo por conta da forte presença na frota da LATAM Brasil

B777 

O B777 é a maior aeronave bimotora do mundo e foi a primeira aeronave comercial produzida pela Boeing equipada com o sistema fly-by-wire, permitindo controles mediados por computador.

O triple seven entrou em serviço com a United Airlines em 7 de junho de 1995. Até fevereiro de 2017, 60 companhias aéreas haviam encomendado 1903 aeronaves, com 1467 entregas.  A variante mais comum e bem sucedida é o 777-300ER com 807 encomendas.  A Emirates opera a maior frota de 777, com 115 aeronaves.  O 777 foi envolvido em cinco acidentes com perda total, sendo o voo Asiana Airlines 214, em julho de 2013, o primeiro acidente fatal da aeronave.

Comentário Beatriz. É a aeronave de longo alcance que mais voei na vida. Nela, voei na primeira classe da ANA e da JAL, duas das melhores experiências que já tive na vida. O 777-300ER também abriga a melhor classe executiva da American, na minha opinião.

Comentário Cadu. O conjunto do Triplo 7 com seu motor GE-90 é algo espetacular; e não há como esquecer os B777 que foram operados pela Varig, voei neles algumas vezes, para os Estados Unidos e Europa

B787

Chamado de Dreamliner, o B787 é a aeronave mais recente fabricada pela Boeing. É a aeronave mais eficiente da Boeing em termos de combustível e foi a primeira na qual foram usados compósitos como material principal na construção de sua estrutura. O 787 foi projetado para ser 20% mais eficiente do que o Boeing 767. As características do 787 incluem seu nariz distintivo, o uso total do sistema fly-by-wire, asas curvadas, e redução de ruído dos motores.

Ele entrou em serviço comercial em 26 de outubro de 2011, pela All Nippon Airways. O 787-9, que é 20 pés (6,1 metros) maior e tem um alcance 450 milhas náuticas (830 quilômetros) maior que a versão -8, voou pela primeira vez em setembro de 2013. As entregas do 787-9 iniciaram em julho de 2014 e a variante entrou em serviço comercial em 7 de agosto de 2014, também pela All Nippon Airways, com a companhia lançadora da versão, a Air New Zealand, recebendo a aeronave dois dias depois. Em novembro de 2015, o 787 havia recebido 1142 pedidos de 62 companhias.

A aeronave sofreu vários problemas em serviço, principalmente incêndios a bordo relacionados com as suas baterias de íon-lítio o que levou  FAA  a paralisar as operações de todos os 787 no mundo até que os problemas com as baterias fossem resolvidos, o que aconteceu em abril de 2013. 

Comentário Beatriz. O B787 está na lista das minha aeronaves favoritas: as janelas enormes controladas eletronicamente, juntamente com a pressão da cabine e umidade maiores do que as demais aeronaves que fazem com que os passageiros cheguem mais descansados ao  seu destino. Além disso, ainda acho o design das asas e dos motores lindo!

Comentário do Cadu. O Cadu disse que endossa as minhas palavras! rsssss

AIRBUS

A330 e A340

O avião surgiu em meados da década de 1970, como um derivado desenvolvido a partir do Airbus A300. O A330 foi desenvolvido em paralelo com o Airbus A340, equipado com quatro motores, com diversas características iguais entre os dois. Ambos os aviões são equipados com o sistema fly-by-wire, bem como o cockpit de vidro, que permite a instalação de até seis telas de LED para o controle de voo. Em junho de 1987, depois de receber diversos pedidos de companhias aéreas, a Airbus lançou oficialmente o A330 e A340. Foi o primeiro avião da Airbus com disponibilidade de três motores, sendo o General Electric CF6, Pratt & Whitney PW4000 e Rolls-Royce Trent 700.

A variante -300, a primeira lançada, realizou o primeiro voo em novembro de 1992 e entrou em serviço com a Air Inter em janeiro de 1994. A Airbus lançou em 1998 a variante -200, um pouco menor.

A sua novíssima variante A330neo teve seu primeiro exemplar entregue essa semana para a TAP. A produção da linha A340 se encerrou no final de 2011 com 377 aeronaves entregues devido a baixa demanda pelo modelo.

Comentário Beatriz. Nunca morri de amores por nenhum dos modelos …

Comentário Cadu. Como passageiro, nada a declarar; como spotter, o A340-600 com sua enorme envergadura é lindo

A350

O A350 é a primeira aeronave fabricada pela Airbus com fuselagem e asas feitas principalmente com fibra de carbono e polímero. Ele foi desenvolvido para substituir os Airbus A340 e competir com o Boeing 777 e 777X.

O A350 foi projetado em 2004, com o layout de fuselagem do A330 e novas características aerodinâmicas e motores. Em 2006, a Airbus redesenhou a aeronave, após críticas de companhias aéreas e a renomeou como A350 XWB (Xtra Wide Body).

 Em 15 de janeiro de 2015, o A350 entrou em serviço com a Qatar Airways, cliente de lançamento da aeronave. Até janeiro de 2018, a Airbus havia recebido 854 encomendas de 45 companhias aéreas.

Comentário Beatriz. Gosto muito do A350; tive a oportunidade de experimentar a aeronave na Cathay e na LATAM. Gosto dois detalhes do design: a ponta das asas e os vidros dos pilotos. Mas entre o A350 e o B787, prefiro o último …

Comentário Cadu. Em maio de 2018, voei na classe Executiva de um A350 da Qatar Airways que tinha 2 semanas de uso, com Qsuite; simplesmente fenomenal a combinação desta aeronave com o serviço da companhia do Golfo; as janelas grandes e o baixo nível de ruído deste wide-body também me impressionam.

A380

O A380 é a maior aeronave comercial do mundo e os aeroportos em que opera tiveram suas instalações adaptadas para acomodá-lo com segurança.  Ele fez seu primeiro voo em 27 de abril de 2005 e entrou em serviço comercial em outubro de 2007, com a Singapore Airlines.

O andar superior do A380 estende-se ao longo da fuselagem, com uma largura equivalente a uma aeronave widebody. O A380 tem uma cabine de 478 metros quadrados de espaço utilizável do piso, 40% a mais que o Boeing 747. 

Até o fim de 2017 a Airbus já havia recebido 317 pedidos firmes e entregue 221 aeronaves. A Emirates Airlines tem a maior frota de A380, com 142 pedidos e 101 aeronaves já entregues. Contudo, o futuro de sua produção é incerto. As empresas que o utilizam estão paulatinamente devolvendo suas aeronaves para os lessors ou aposentando-as.

Comentário Beatriz: Eu adoro o A380! É um avião incrivelmente silencioso para o seu tamanho. Me lembro nitidamente de como fiquei impressionada com ele na minha primeira experiência na premium economy da Qantas entre Singapura e Londres. Além disso, quando a companhia aérea sabe aproveitar o espaço, ele oferece possibilidades incríveis: os bares da Emirates e da Qatar, e os chuveiros da Emirates e da Etihad são exemplos do que só o A380 pode fazer.

Comentário Cadu. Já voei 03 vezes no A380: a Singapore me levou de Singapura até Londres, a British de Londres até Joanesburgo e a Qatar Airways de Doha até Bangkok. É uma aeronave impressionate. Dentro dele, a grande largura da cabine traz uma ótima sensação de espaço. Mas o aspecto que mais me chamou a atenção nestes voos foi o silêncio durante o voo, mesmo na decolagem, com os 04 motores em potência máxima.

Espero que vocês tenham gostado tanto como nós desse post. Quem sabe a gente não torna os posts colaborativos uma rotina aqui no Milhas e Destinos? 😉

E vocês? Quais são as suas aeronaves favoritas?