Ontem foi publicada a primeira promoção do ano envolvendo a Multiplus e a Livelo. Ela parece ser muito vantajosa. A última promo desse tipo foi em novembro do ano passado e também foi muito boa.

A ideia, em termos gerais, é que, ao transferir pontos da Livelo para a Multiplus, o cliente Clube Livelo ganha 40% de pontos de volta para a conta. Assim, transferindo 50.000 pontos para a Multiplus, o cliente recebe 20.000 pontos de volta, o que faz com que, na realidade, ele só tenha transferido 30.000 pontos.

A promoção é melhor ainda para quem é cliente do novo Clube Multiplus 10.000, porque ele ganhará 30% de bônus em cima dos 50.000 transferidos, perfazendo o total de 65.000 pontos – uma passagem de ida ou volta entre Paris e Doha na primeira classe da Qatar.

A compra de pontos Livelo está com 40% de desconto para membros do Clube 7.000 e 20.000, o que faz com que o lote de 1.000 pontos saia por R$ 42,00. Logo, 50.000 pontos saem por R$ 2.100,00. Como você ganha 20.000 pontos de volta, esses (30.000 pontos x R$ 0,042) divididos por 65.000 pontos Multiplus, faz com que o ponto Multiplus saia por R$ 0,019 – um valor excelente!

Esses valores e o quanto saem passagens em econômica, executiva e primeira classe estão em diversos blogs de milhas e eu vou me abster de mostrar o que todo mundo já mostrou.

Mas tem uma pergunta que ninguém fez e que está na minha cabeça desde anteontem quando soube da promo (estou em Berlim fazendo pesquisa na biblioteca da universidade e não tive tempo de postar nada de muito complicado).

Por que, afinal de contas, a Multiplus se uniu à Livelo e está fazendo essas campanhas de transferência de pontos extremamente vantajosas para os clientes? O que será que aconteceu?

Uma primeira possibilidade: a Multiplus não está envolvida na parceria. Afinal, quem vai oferecer os points back é a Livelo.

Uma segunda possibilidade é uma parceria entre as duas empresas. Se isso for verdade, o que levou à Multiplus a retomar a promo 4 meses depois?

Eu tenho um palpite e gostaria que vocês me dissessem se eu estou delirando ou não: a Multiplus, assim como a Smiles e a TudoAzul, está tentando desestabilizar o mercado paralelo de compra e venda de milhas.

Há empresas e empresas lucrando muito com esse comércio, porque muitas vezes sai mais barato emitir a passagem com milhas do que comprar diretamente na empresa.

Apesar de os contratos dos planos de milhas serem categóricos quanto à proibição da comercialização, os programas brasileiros não reforçam a regra ou por não terem condições técnicas de fazê-lo ou porque acham que o Poder Judiciário dará ganho de causa aos consumidores.

Nos programas americanos, há uma auditoria na conta do cliente e se ele não conseguir provar que ele emitiu a passagem para alguém que ele conhece, ele perde todas as milhas e pode ser expulso do programa. Há centenas de relatos no FlyerTalk.

O fato é que nas 3 horas seguintes ao anúncio, houve uma desvalorização de cerca de 30% no valor de comercialização dos pontos Multiplus, o que afeta diretamente essas empresas de compra/venda de milhas.

Afinal, por que a Multiplus, Smiles ou TudoAzul vão deixar o intermediário lucrar mais do que elas mesmas na venda de milhas?

Eu acho que tem sido esse o foco dos programas de milhas: inundam o mercado com milhas, desvalorizam as milhas, lucram com isso e ainda dão uma rasteira nos intermediários.

Gente, estou viajando?

Ah, e muita atenção para a inundação de pontos Multiplus no mercado … Como a história recente dos programas de milhas nos mostra, se não emitir a passagem a curto ou médio prazo, corre o risco de só ter pontos suficientes para comprar um pé de alface na feira.

OBS: Aliás, esse comércio de milhas merece um post específico sobre o assunto, não?