Oi Lufthansa, tudo bem?

Entrei com uma ação contra você por danos materiais e morais. Mas antes de entrar na Justiça – você não sabe como é doloroso para nós, advogados, escrevermos uma petição inicial em nome próprio – eu tentei resolver o assunto por outras vias.

Entrei em contato com você via Twitter e você me disse: olha, como o dano não aconteceu no Brasil, só nossos colegas na Alemanha podem resolver. Eu sei que isso não é verdade, Lufthansa. Mas tudo bem. Não quis iniciar uma troca que mensagens que não levaria a lugar algum. Quem quer resolver, resolve. Quem não quer, não resolve.

Escrevi explicando a situação para o endereço de email que me deram, enviando cópia da passagem, do cartão de embarque, prova do dano, prova da perícia atestando o valor do dano. Tudo certinho.

Você me respondeu que sentia muito pelo ocorrido, e que pagaria o valor periciado. Isso tem valor probatório de confissão, tá? Você pediu meus dados completos, conta corrente, IBAN etc etc etc. Enviei tudinho.

Esperei, esperei e esperei. Enviei diversos emails pedindo uma previsão de pagamento. “No máximo em duas semanas”, o email que você me mandou afirmou peremptoriamente há meses atrás.

Só um aparte: eu sei (e um montão de gente sabe), Lufthansa, que uma ordem de pagamento internacional, hoje em dia, não demora mais do que 48 horas para cair na conta.

Esperei, esperei e esperei. Escrevi, escrevi e escrevi. “Espere, espere, espere”, você respondeu. Nada.

Entendi, então, que o pagamento não sairia voluntariamente.

Como nossos emails foram trocados em inglês, tive que enviá-los para um tradutor juramentado por exigência do Código de Processo Civil. Mais um gasto pra conta, que já supera os R$ 3.000,00 em danos materiais comprovados.

Fiz minha petição inicial bonitinha, anexei todos os emails traduzidos, tudo certinho. Pedi danos morais, dentre outras coisas, por desvio do tempo produtivo. Afinal, olha só a trabalheira que você me tem dado e que poderia ter sido resolvida facilmente em 2018 …

Daí que nosso encontro no Judiciário vai acontecer semana que vem – no 4o mês de 2019 – e eis que agora à noite, recebo um email do escritório terceirizado que você contrata para cuidar dos casos relativos ao Direito do Consumidor.

Olha só o que o escritório que atua em seu nome me enviou fez: contratou uma empresa chamada Acordo Fechado e esta, por sua vez, me enviou uma proposta de acordo em nome do escritório e, em última análise, em seu nome.

Pois é, Lufthansa, o escritório a quem você está pagando terceirizou o serviço de conciliação. Mas isso não é o pior. Dê uma lida na proposta feita, por favor.

Lufthansa, como assim R$ 2.000,00? O escritório não se deu nem ao trabalho de ler o quanto você já tinha confessado que ia pagar para orientar a terceirizada?

E em 20 dias úteis? Eu tenho que esperar mais um mês para receber menos do que você confessou que me deve – isso sem contar os danos morais, nem os juros e correção monetária dos danos materiais?

Você não avalia o impacto que esse tipo de oferta tem para a sua reputação junto ao seu cliente? Você não quer que ele volte a fazer negócio com você (voar)? Você quer ser assunto de conversa de bar? De almoço de família aos domingos? Troca de mensagens no grupo de whatsapp?

“Gente, vocês não sabem a chateação que a Lufthansa está me dando … Não, André, não é a Lao Airlines. É a LUFTHANSA!”

Lufthansa, lutar para ser uma empresa 5 estrelas no Skytrax e poder fazer publicidade disso implica não somente ter um produto competitivo, com boas aeronaves, cabines confortáveis e excelentes tripulações. Ser uma companhia aérea 5 estrelas é prezar pelo seu cliente mesmo e, principalmente, quando o voo acaba.

É, além de admitir que causou um dano e se prontificar a pagar, pagar. E pagar o mais rápido possível. É claro que tem um lapso de tempo para o processamento desse tipo de evento, mas ele tem que ser razoável. Prazo de companhia aérea 5 estrelas.

E vamos combinar que o pessoal do Brasil está cansado de saber que, ao fim e ao cabo, se der problema, ele será resolvido aqui. Se o pessoal aqui do Brasil tivesse agido como uma empresa 5 estrelas, esse assunto teria sido encerrado em 2018.

Então, Lufthansa, venho aqui, publicamente te oferecer os meus serviços advocatícios, cujos valores podemos acertar em caráter privado, com a promessa de que eu, pelo menos, lerei as petições dos seus clientes.

Você tem o meu contato.

De qualquer modo, até breve.