Dica do Gustavo a quem, desde já, agradeço: pesquisando voos no site do Smiles Argentina, a quantidade de milhas é menor do que aquela exigida pelo Smiles no Brasil. Eu fiz uma busca super simples para o trecho Guarulhos – Roma, na mesma data e com os mesmos voos e constatei que realmente há diferença, sim. Mas há alguns detalhes importantes que precisam ser considerados.

Vamos lá: no Smiles Argentina o trecho sai por 40.000 milhas (no momento tem uma promoção por 22.000 milhas o trecho, em datas limitadas, mais impostos e taxas).

No Smiles Brasil, o mesmo voo sai por 59.000 milhas (57.000 para quem é Diamante ou pertence ao Clube).

É claro que há algumas variáveis a serem consideradas: no Smiles Argentina não é possível a compra direta de pontos. Você só acumula voando GOL ou com as parceiras, ou transferindo pontos dos cartões de crédito associados.

Então, o acúmulo de milhas para os argentinos é muito mais difícil. Se os resgates forem muito altos, o programa deixa de ser interessante e ninguém transfere pontos do cartão para lá, ou credita milhas de voos no Smiles.

Para vocês terem uma ideia, a parceria com a AMEX por meio do Membership Rewards funciona do seguinte modo: cada 1 USD equivale a 1 ponto MR. E cada 1.000 pontos MR equivalem a 700 milhas Smiles! Gente, só pode estar errado, né? Os argentinos gastam 1.000 dólares e recebem 700 milhas Smiles???

Pesquisando mais no blog Ratamundo, do Adrián, descobri que o MR de vez em quando vende pontos na Argentina. Em 2017 100.000 pontos saíram por $ 13000, que equivalem a R$ 1.200,00 hoje (clique aqui para ler). Já em junho de 2018, esses mesmos 100.000 pontos eram vendidos por, pasmem, $ 31000 (= R$ 2.760,00) (clique aqui para ler).

Mas é possível complementar os pontos faltantes por meio do Smiles & Money e aí é que as coisas ficam interessantes.

Percebam que no Smiles & Money na Argentina, você emite o bilhete com 20.000 milhas + $ 13491, que equivalem a R$ 1.200,00 ao câmbio de hoje.

Aqui no Brasil, o bilhete pode ser emitido com 20.750 milhas + R$ 1.050,00, uma diferença de R$ 150,00 a menos, mas com 750 milhas a mais, que vamos combinar, para nós, é irrisório.

A pergunta que não quer calar é: poderíamos migrar para o Smiles Argentina levando as milhas da nossa conta para uma nova conta e aproveitarmos para emitir passagens com menos milhas?

O Ratamundo mostra um passo a passo para essa migração, que é possível até dia 30 de maio, dadas algumas condições. Eu dei uma olhada na minha conta e não aparece a opção de migração, já que eu tenho um cartão de crédito emitido no Brasil cadastrado na conta. Mas quem quiser verificar, clique aqui para saber mais.

De qualquer modo, só compensaria se o Smiles permitisse ficar migrando de uma conta para outra, pelo menos, uma vez por ano. Para ser uma mudança definitiva, não vale mesmo com as condições atuais do Smiles Argentina.