Esse ano eu tive o privilégio de visitar a Eslovênia, o país mais lindo que conheci. A Eslovênia, remanescente da antiga Iugoslávia, faz fronteira com a Itália, Áustria, Croácia e Hungria. O pequeno país, com cerca de 2 milhões de habitantes, é banhado pelo Mar Adriático ao seu sudoeste. A moeda corrente é o euro.

O ideal é alugar um carro e dirigir pelas estradas marginais – a cada curva é uma paisagem deslumbrante. Fiquei 4 dias rodando por lá e deu para conhecer bem a área do centro-oeste, onde fica o Lago Bled, o Parque Nacional do Triglav e o vale do rio Soča.

Entrei na Eslovênia via Trieste, na Itália. Fui para uma cidadezinha chamada Piran, que é banhada pelo Mar Adriático. Em Piran, os turistas obrigatoriamente devem deixar o carro fora do centro histórico, em um estacionamento pago. Lá há um ônibus que passa de 10 em 10 minutos que leva ao centro. A cidade é bem pequena e dá para conhecê-la a pé em uma manhã ou tarde.

Piran

Piran

Piran

Em seguida, fui visitar as Grutas de Škocjan, um dos maiores canyons subterrâneos do mundo, que fazem parte do patrimônio histórico da humanidade da UNESCO desde 1986.  Fiz um tour guiado de, aproximadamente 1h30 mins, de muita caminhada e muitas escadas!  Não é um tour para qualquer um, não. A gente anda muito – da entrada do parque até a gruta, e na gruta são cerca de 600 degraus – para cima e para baixo. Saindo da gruta também há uma boa caminhada de volta ao parque.

Grutas de Škocjan

Um lugar imperdível da Eslovênia – e talvez o mais conhecido – é o Lago Bled, na região dos Alpes Julianos. O lago é conhecido por sua ilha, acessível de barco. Dá para andar em volta de todo o lago e eu fiquei encantada com a beleza do lugar, que me surpreendeu a cada passo que dei lá.

Lago Bled

Lago Bled

Lago Bled

Outro lago impressionante é o Bohinj, que fica a cerca de 50 mins de carro de Bled.

Lago Bohinj

Lago Bohinj

Lago Bohinj

Todo o país é lindo – ir de uma cidade a outra é um bálsamo para os olhos. Perdi a conta de quantas vezes encostei o carro para tirar fotos – mesmo sem acostamento, já que o movimento das estradas é mínimo.

Tanto Bled como Bohinj ficam nos Alpes Julianos, onde fica o Parque Nacional do Triglav.  Fui de Bled até Kranjska Gora, de lá subi até o Vrišič Pass – o ponto mais alto – para descer pelo Vale do Rio Soča – foi deslumbrante!

Parque Nacional Triglav

Parque Nacional Triglav

Parque Nacional Triglav

Vršič Pass

Durante todo o trajeto, íngreme e cheio de curvas fechadas, é possível encontrar ciclistas profissionais, acompanhados de vans de apoio.

Vale do rio Soča

Eu decidi visitar a Eslovênia depois de ver uma série do Netflix chamada Chef’s Table. Tem um episódio dedicado ao restaurante Hiša Franko da chef Ana Rós e eu coloquei na cabeça que eu iria lá. E fui … o restaurante fica em Kobarid, aos pés do Vale do Soča.

Foi tudo perfeito – desde a estrada que leva ao restaurante à refeição em si. De quebra, ainda pude cumprimentar a chef – eleita a melhor do mundo de 2017 – que foi simpaticíssima!

Kobarid

Hiša Franko

Hiša Franko

Essa foi uma das viagens que mais gostei de fazer na vida. Além do país em si ser lindo, o tempo estava ótimo – fui em maio, na primavera. Os dias estavam lindos e a  cada canto uma paisagem de tirar o fôlego. Foi tudo nota 10! Recomendo fortemente a todos.