A TAP divulgou a seguinte nota hoje:

Informação sobre bilhetes emitidos pela Avianca Brasil e pelo Programa Amigo

Em razão do processo de recuperação judicial da companhia aérea Avianca Brasil e diante da suspensão desta companhia do Acordo Multilateral Interline pela Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), a TAP informa que, a partir do dia 15 de junho de 2019, não poderá aceitar bilhetes emitidos pela Avianca Brasil e pelo Programa Amigo para embarque em seus voos.

Diante disso, a TAP recomenda que os Clientes com bilhetes para viagens depois desta data procurem a Avianca Brasil ou o Programa Amigo, companhia aérea emissora dos seus bilhetes, para que realizem os procedimentos de reacomodação junto a outros operadores ou de reembolso do bilhete.

A TAP parece desconhecer o Código de Defesa do Consumidor aqui do Brasil. A lei é clara: todos os fornecedores de produtos e serviços têm responsabilidade solidária perante os seus clientes.

Logo, a TAP não pode se furtar a acomodar os passageiros que emitiram bilhetes via Amigo para voar em suas aeronaves.

A TAP poderia ter bloqueado as emissões via Amigo a qualquer momento, como outras companhias aéreas fizeram. Mas a empresa optou por deixar os clientes Amigos realizem resgates mesmo sabendo das enormes e, aparentemente, insuperáveis dificuldades da Avianca Brasil.

Como é um comunicado oficial, imagino que a empresa não está disposta a entrar em acordo extrajudicial com os passageiros.

Quaisquer dúvidas que vocês tenham, por favor, escrevam nos comentários do post específico – Central de Ajuda TAP x Amigo – que criei (clique aqui para acessar).