Estou procurando aluguel de carros para a minha próxima viagem aos EUA e me deparei com os problemas de sempre: com quem contratar e o que eu devo ou não devo contratar.

É sabido por todos que alugam carro no exterior que, geralmente, as locadoras empurram toda a sorte de serviços extras para o cliente. Alguns são inúteis e outros, essenciais.

Há alguns seguros que eu nunca deixo de fazer: LDW/CDW e LIS (que também atende por SLI e EP, dentre outras siglas).

O LDW/CDW é a proteção por perdas e danos e cobre qualquer dano ao carro. O LIS, por sua vez, é o suplemento de responsabilidade que cobre os danos causados contra carros de terceiros. Ele nunca é oferecido pelos cartões brasileiros.

Os cartões brasileiros oferecem LDW, mas para poder utilizar a oferta, é necessário recusar o LDW da locadora e deixar o valor da franquia bloqueado no cartão. Eu sei que é mais barato, mas eu prefiro deixar tudo com a locadora sem ter que me aborrecer em país estrangeiro caso algo aconteça.

Outra coisa que as pessoas geralmente não fazem mas eu faço sempre é contratar o Roadside Assistance. Já tive problema duas vezes, inclusive com o motor do carro fora da cidade em que fiz o aluguel, e me levaram de graça para o aeroporto mais perto para pegar outro carro.

Um seguro que eu não contrato é o PAI, que é o seguro pessoal de acidente, que cobre despesas médicas. O cartão de crédito ou o seguro saúde já cobrem esse tipo de problema.

Um extra que eu acho desnecessário é o GPS. Hoje em dia temos o Waze que dá conta do recado. GPS só se for de graça … Além do que, dependendo da duração da locação e da quantidade de vezes que o cliente aluga carro no exterior, é melhor comprar o seu GPS.

Para quem viaja com bebês, fica uma dica: ou você leva a sua cadeirinha do Brasil ou você será obrigado a contratar uma. Isso por que as leis americanas proíbem a circulação do automóvel com um bebê no colo. Uma saída é alugar a cadeira só pelo primeiro dia, comprar uma e, depois, devolver a cadeira na locadora no dia seguinte.

Uma roubada é contratar o tanque combustível cheio: o preço nunca compensa, porque na devolução sempre há combustível sobrando. Mas não se esqueçam de devolver com o tanque cheio, porque além da gasolina da locadora ser mais cara, eles cobram uma taxa de uns USD 30 só para encher o tanque. É prejuízo na certa. Eu sempre encho o tanque em algum lugar mais barato na estrada e completo em um posto perto da locadora.

Eu também recuso upgrade pago: muitas vezes, a locadora oferece um upgrade por um precinho camarada porque já não tem mais a categoria de carro que foi alugada. Recuse, porque o upgrade vai sair de graça … rsssss

Uma última coisa: eu geralmente alugo em empresas que atuam no Brasil também, por precaução. Se eu tiver que acionar o Judiciário é uma mão na roda …

Qual a empresa que vocês usam para aluguel de carros no exterior? Alguém já teve problemas? Alguma dica legal para compartilhar?